Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Passatempo 4º Aniversário - IFS Mendes



Mais um dia, mais um passatempo para comemorar o 4º aniversário deste meu blog. Desta vez, em parceria com a IFS Mendes, poderão ganhar um Vale no valor de 5€ e que poderão gastar nas peças fantásticas que por lá vão encontrar, a maioria em pele genuína e com padrões super trendy. 


Para participar só precisam de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo será realizado novo sorteio. 
  • Termina em 18 de Setembro.
Boa sorte!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Passatempo 4º Aniversário - Chiado Editora



O passatempo de hoje, em parceria com a Chiado Editora, tem para vos oferecer um exemplar do livro "A Aventura Culinária, de Eva Gonçalves, finalista do programa Masterchef Portugal. Podem saber mais sobre o livro e sobre a autora aqui.


Para se habilitarem a este prémio só precisam de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo será realizado novo sorteio. 
  • Termina em 18 de Setembro.
Boa sorte!

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Passatempo 4º Aniversário - Bertrand Editora



Hoje é o grande dia do qual falei ontem, na antevisão deste aniversário. É hora de soprar as velas e iniciar, de modo oficial, as celebrações do 4º Aniversário do blog Não Digas Nada a Ninguém. Posto isto, e como ontem vos prometi, vão iniciar-se uma série de passatempos para vos presentear e agradecer por estes 4 anos de alegrias e conquistas. Vamos a isso?

O prémio que tenho para vocês, em parceria com a Bertrand Editora, é o livro "Receitas de Vida para Melissa", romance de estreia de Teresa Driscoll. Podem saber mais sobre o livro e a autora aqui.


Para ganharem o exemplar que está à vossa espera, é muito simples e não custa nada. Só precisam de:




Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo será realizado novo sorteio. 
  • Termina em 18 de Setembro.
Boa sorte!

domingo, 28 de agosto de 2016

Antevisão do 4º Aniversário



Amanhã, o blog do meu coração está de parabéns. Comemora-se o 4º aniversário, o que significa que se passaram quatro anos desde que iniciei esta aventura, que tantas alegrias me trouxe e me traz diariamente. 

São mais de mil posts, quase dois mil comentários e muitas horas do meu tempo livre dedicadas ao meu hobby favorito de todo o sempre, escrever. Claro que quem escreve, regra geral, quer ser lido. Se pretendesse escrever apenas para mim mesma, dedicava-me a escrever um diário. Escrevo aqui porque gosto de partilhar o que me vai na alma e na mente. Gosto de aprender com quem me lê também e encontrar pessoas especiais, que de outra forma não teria oportunidade de conhecer. 

E nesse aspecto, sou uma pessoa de muita sorte. Não tenho a quantidade de seguidores que gostaria, é verdade. No entanto, a qualidade é a melhor que poderia esperar. Aliás, é bem melhor do que algum dia sonhei. É por essas pessoas que não desisto, mesmo quando o trabalho me deixa esgotada e sem vontade nenhuma de actualizar o blog. Ou quando a Internet cá de casa entra em greve e não me deixa fazer nada de jeito. Ou quando os compromissos sociais se atravessam no caminho e ocupam as horas que esperava dedicar a produzir conteúdo. 

A sensação de entusiasmo e felicidade, que me inundava por altura do 3º aniversário, continua intacta. Continuo a não saber bem o que quero fazer com este blog, para além do simples facto de escrever o que me apetece e o que faz sentido para mim. Ainda não foi durante este ano que passei a poder viver disto e este ainda é o trabalho que mais prazer me dá entre tudo o que já fiz. 

Sinto vontade de ser cada vez melhor, de aprender mais e de tornar o meu/nosso blog um espaço cada vez mais agradável e interessante. É um trabalho constante e delicioso. Mas só faz sentido porque sei que tu estás desse lado a comentar, a interagir ou simplesmente a ler silenciosamente. 

Este ano, decidi ser proactiva e contactar algumas pessoas, de forma a estabelecer parcerias e poder proporcionar-vos alguns passatempos, com prémios que espero que gostem. Gostaria muito de ser capaz de vos agradecer ainda mais o tempo que dedicam à leitura dos meus pensamentos. 

Posto isto, deixo aqui, novamente, os meus agradecimentos por tudo o que me dão e quero que fiquem atentos, porque esta semana será toda dedicada a passatempos para comemorar em grande este 4º aniversário e tornar as celebrações memoráveis. Posso contar com vocês? ;) 

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Eu fui aos Saldos - Bershka e H&M



As saudades que eu já tinha de aqui vos mostrar as minhas compras em saldos! Aqueles achados, tão fantásticos, que parece que nos saiu a sorte grande. E sem grande investimento, que é tão importante quanto o objecto em si. 

A última compra que vos mostrei foram umas sandálias lindas de morrer que me têm acompanhado neste Verão. Este ano, foi bem complicado encontrar peças que fizessem sentido no meu armário e que não custassem os olhos da cara com um ligeiro desconto. 

Por fim, numa visita ao GaiaShopping, lá tive a sorte de entrar na Bershka e encontrar um vestido que é a minha cara e pela módica quantia de 5,99€. Vai ser uma peça para usar na próxima estação e que será bem rentabilizada, com toda a certeza. Já não vos sei dizer qual o preço inicial, porque tirei a etiqueta e não faço ideia onde está. Provavelmente, no caixote de lixo. A etiqueta já era, mas o vestido está aqui para verem e me dizerem de vossa justiça. É lindo ou não é?


H&M está entre as minhas lojas de eleição de todo o sempre e é paragem obrigatória em qualquer Shopping onde esteja presente. Apesar de não ter encontrado as peças da minha wishlist, encontrei um achado daqueles épicos. Um casaco como já procurava à imenso tempo. De malha, fresco e que me permitisse completar os looks de Verão, especialmente nas noites menos quentes. 


A foto não lhe faz justiça, mas a culpa é da fotógrafa (me). Este foi o verdadeiro achado dos saldos deste ano. Este singelo casaco tinha um preço inicial de 24,99€ e veio morar para minha casa pelo simpático valor de 2,99€. Querem melhor? Só se fosse de borla! 


Gostaram das minha comprinhas nestes saldos? E os vossos achados? Contem-me tudo! 

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Mulheres que não gostam de sexo



Começo por dizer, antes que alguma alminha se enerve, que certamente existem homens que não gostam de sexo. Sinceramente, não conheço nenhum. Porém, acredito que eles existam e que andem por este mundo sem ainda se ter cruzado comigo nenhum espécime assim. 

Contudo, são conhecidos muitos mais casos de mulheres que não gostam de sexo. Para quem essa parte essencial de qualquer relacionamento amoroso é uma tormenta e um sacrifício. Mulheres que não se imaginam a viver sem um companheiro para partilhar a vida, mas dispensavam as intimidades da cama. Outras até preferem viver sozinhas e sem homens e não sentem a mínima necessidade de contacto sexual de qualquer forma. 

Associamos isto a uma geração de mulheres de antigamente. As que morriam sem se terem visto nuas. Sem nunca porem os olhos nos corpos despidos dos maridos. Para quem tocarem-se era um pecado e o sexo uma obrigação para satisfazer as necessidades dos senhores seus maridos e uma forma de procriar. 

Hoje, vivemos o culto do sexo. Fala-se mais e cada vez com menos tabus destes assuntos. E ainda bem que assim é. No entanto, sinto que ainda existem mulheres que não apreciam devidamente os prazeres do sexo. E se antes se pecava por falar, actualmente acredito que muitas se calem por vergonha de não sentirem o que todos dizem que deviam sentir. Por não alcançarem a satisfação que todos lhe cobram como normal. 

A vergonha será sempre o grande impedimento e obstáculo ao prazer. Seja de falar ou de fazer algo. Se falarmos de sexo com naturalidade e sem risinhos parvos e envergonhados, iremos perceber mais e descobrir que não somos assim tão diferentes umas das outras. Se não nos impedirmos de fazer algo que temos verdadeira vontade, talvez seja possível alcançar o prazer que funciona para nós. 

É que, enquanto os homens são muito mais simples, até no sexo, as mulheres são mais complexas. O que funciona para uma, não é necessariamente fórmula de sucesso com outra. Poucas são as mulheres que chegam ao orgasmo apenas pela penetração. Levar uma mulher ao céu dá trabalho, e nem todos os homens estão dispostos a ter esse trabalho todo. 

O que significa que, ainda que existam vergonhas e tabus antigos enraizados em nós, grande parte da responsabilidade de muitas mulheres não gostarem de sexo é dos homens incompetentes. Aqueles que continuam a menosprezar a importância dos preliminares e a desconhecer as variadas formas de estimular uma mulher. Os que ignoram ou esquecem que os nossos timings não são iguais aos masculinos. 

Posto isto, aqui fica mais um defeito do género masculino que não se incluía no âmbito dos que aqui referi. A incompetência sexual. Homens destes mundo, abram a pestana e comecem a dar o litro, sim? As mulheres agradecem e vocês também vão gostar dos prazeres que podem alcançar com uma mulher sexualmente satisfeita. 

As meninas que ainda estão a ler concordam com as minhas conclusões? Ou têm algo mais a acrescentar? E meninos, podem-se defender! A liberdade de expressão existe e é para ser usada devidamente. 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Danone ou Mimosa?



Na semana passada, contei-vos das marcas da minha infância. Entretanto, muita coisa mudou e nem todas estão presentes na minha lista de compras. Contudo, outras são incontornáveis e outras, apesar de antigas, conseguem surpreender. 

Hoje, apetece-me falar de iogurtes. Como já vos contei, na minha infância os iogurtes cá em casa eram todos da Mimosa. Depois, os anos foram passando, e passei a comprar outras marcas e outro tipo de formatos. Durante muitos anos rendi-me aos iogurtes líquidos e os eleitos, quase sempre, eram da Danone. 

Entretanto, surgiram os Gregos e nunca mais os larguei. Provei vários sabores, mas os meus preferidos são os naturais açucarados, que me permitem fazer as combinações que me apetecer. Pensei que nunca mais iria surgir nada que me viciasse tanto como estes últimos. Até que, surgem as Gelatinas de Iogurte. 



Nunca mais as larguei. Sobretudo no Verão. São deliciosas, frescas e substituem perfeitamente uma sobremesa. Entretanto, a Danone lançou alguns novos sabores e já me aventurei. Como sempre, não desiludem nas suas apostas. 

Ao longo dos últimos anos, estas novidades surgem sempre cá por casa sob a marca Danone. E tenho sentido que a Mimosa não se aventura nesses campos. Mantém-se nos clássicos e por isso deixaram de fazer parte da minha rotina. 

A surpresa surgiu quando encontrei o seu mais recente lançamento. Iogurte + Gelatina. Um produto light, que promete poucas calorias sem perder o prazer do sabor. Quanto às calorias não posso afiançar, mas o sabor, meus amigos, é qualquer coisa de bom. 


Comecei por provar o sabor a framboesa e nunca mais esqueci a experiência. Pareceu-me a escolha perfeita para acompanhar os lanches ou as pausas do meu Verão. Entretanto, deixei de os encontrar nos supermercados e fiquei chateada. Agora que tinham lançado um sucesso, desaparecia assim sem deixar rasto. 

Mas nas últimas semanas voltaram em força e já consegui provar o sabor a maracujá. Mais uma opção vencedora. A combinação entre a gelatina e o iogurte é fantástica nos dois sabores. E assim, uma marca da minha infância regressa à minha lista de compras e com prioridade máxima. Agora só espero que mantenham a tendência e lancem mais sabores! 

Vocês já experimentaram estes produtos da Danone e da Mimosa? Qual preferem? 

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

#Desafio 52 Semanas - As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são...



Semana 41 - As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são...

  • Manter o interesse - Passada a fase da paixão, manter o interesse é o grande desafio. Talvez seja o que diferencia uma paixoneta de uma relação. Não existe fórmula mágica a seguir, mas exige esforço e dedicação de ambas as partes. 
  • Lidar com o ciúme - Pela parte que me toca, não sofro deste mal. No entanto, lido muito mal com os ciúmes. Não suporto cenas de ciúme e desconfianças deixam-me com os nervos em franja. E não é que a minha ausência de ciúme ainda gera mais desconfiança e insegurança. É complicado gerir, acreditem.
  • Aceitar os defeitos - No início, até dos defeitos gostamos. Passados uns meses, começam a fazer moça. E aquela coisa de que vamos mudar o outro, é puro mito. Ninguém muda ninguém. E, na minha opinião, nem deve. Pequenas cedências de parte a parte, sim. Mas mais do que isso, não vai acontecer. Por isso, talvez seja melhor passar à aceitação, se for possível. 
  • As sogras - Podem ser um autêntico pesadelo para muita gente. Quando gostam de se meter em tudo e não deixam espaço para respirar. Bem, podia discorrer aqui uma tese mas penso que todos sabem do que falo, não é? 
  • Distância - Faço parte das pessoas que não acreditam em relações à distância. Eu sei que existem e que algumas têm o seu final feliz, mas a grande maioria não passa adiante. Se for uma distância temporária até pode fortalecer a relação. Mais do que isso, é complicado. 
Podem consultar o Desafio 52 Semanas - Apresentação para ficarem a saber o que já saiu e o que ainda está para vir. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

As marcas da minha infância



Não sei quanto a vocês, mas eu adorava ir com os meus pais ao supermercado. Era sempre uma aventura. Um espaço tão imenso aos olhos da criança que era e com coisas diferentes para onde quer que olhasse. Claro que o meu corredor favorito era o dos brinquedos. Aliás, era nestas idas às compras que tratava de aumentar a minha colecção de Barbies, sobre as quais já vos falei aqui. 

A verdade é que devo ter sido mordida pelo mosquito da nostalgia. Depois de ter percebido que já se passaram 20 anos desde que surgiram as minhas adoradas Spice Girls, comecei a lembrar-me de uma série de coisas que fizeram parte da minha infância. Nomeadamente, as marcas que recordo fazerem parte integrante da nossa dispensa. 

Algumas dessas marcas permanecem entre as nossas escolhas. Outras nem tanto. Os motivos são diversos, mas passam sobretudo pelo aumento da oferta. Com tantas marcas e produtos, fica difícil manter a fidelidade. Sem contar com o facto de que gosto muito de experimentar as novidades e poder escolher com conhecimento de causa. 

Mas afinal, quais são as marcas da minha infância? Pois que vos conto tudo já a seguir! 

1. Skip 
Este era o detergente que a minha mãe usava desde sempre. Hoje, devido aos preços elevados, não faz parte das escolhas cá de casa. Mas é só mesmo uma questão de custo, porque a qualidade é inegável.


2. Gallo
O azeite dos azeites. Um ingrediente que não pode faltar numa casa portuguesa e na minha não faltava o azeite Gallo. Actualmente, continua a fazer parte das minhas marcas de eleição, mas sem a exclusividade de antigamente. Se bem que a única marca que a pode substituir cá em casa é o azeite Oliveira da Serra. 


3. Mimosa
Não fosse a minha família da terra onde são feitos os produtos desta marca. Durante muitos anos, todos os lacticínios que se consumiam cá por casa eram da Mimosa. Leite, iogurtes, manteiga, queijo. Hoje em dia, é raro comprar esta marca. A nível de iogurtes, sinto que ainda não acompanham as outras marcas em termos de inovação. A manteiga está fora de questão, pois não gosto de manteigas que não sejam fáceis de barrar. O leite voltou a fazer parte da rotina, sempre que encontro em promoção, desde que descobri o fecho fácil que aplicaram nos pacotes e que é prático e permite que o leite dure mais tempo no frigorífico. 


4. Cigala
O único arroz que entrava nos nosso armários era o arroz agulha da Cigala. Hoje, só compro em promoção, e nem sou muito esquisita com as marcas. Arroz é sempre arroz, regra geral.


5. Nacional
As massas eram sempre da Nacional e a farinha também. Já para não falar das bolachas, as minhas favoritas. Agora que penso nisso, já não me lembro de ver esta marca no mercado. Que terá acontecido? 


6. Fula
O óleo de eleição da senhora minha mãe era o óleo Fula. Para falar a verdade, nem me lembro de outra marca, na época. Actualmente, continua a ser uma marca de referência, mas só faz parte da lista de compras quando está em promoção. E só se usa óleo de girassol, mais saudável, segundo dizem. 


7. Knorr
Os caldos culinários eram sempre da Knorr, claro está. Mais uma marca que não me recordo de ter concorrência. Os básicos caldos de carne e de galinha não faltavam nos cozinhados da mãezinha e agora continuam a marcar presença. Como as promoções nos produtos desta marca, cada vez mais variados, são uma constante, é nessas alturas que aproveito para repôr o stock. E os novos Noodles da Knorr são de comer e chorar por mais!


8. Compal
Os sumos, quando ia ao café, vinham sempre nas latinhas clássicas da Compal. Os néctares de Pêssego eram os meus favoritos. Esta é uma marca moderna e que tem acompanhado a evolução dos tempos e os sabores agora disponíveis são, ou parecem, infinitos. E saborosos como sempre. Continua a ser a companhia perfeita para os lanches, isso é certo. 


9. Becel
A margarina era o produto utilizado apenas pelo meu pai, devido aos seus problemas com o colesterol elevado. Lembro-me de provar e nunca mais esqueci o sabor da Becel. Sabor que continuo a sentir de cada vez que compro esta margarina cá para casa. É uma viagem no tempo e um regresso à minha infância. No entanto, só compro de vez em quando. Gosto do seu sabor, mas não está entre as minhas favoritas. 


10. Olá
Por último, mas não menos importante, os gelados da Olá. Um clássico incontornável da minha infância. Adorava provar cada gelado novo que saía. Hábito que mantenho até hoje. Recordo-me que, na época, era grande fã do Perna de Pau, do Epá (por causa da pastilha elástica que vinha no fim), dos Calippos (pouco populares entre os pais, muito desejados pelos miúdos) e do Feast. Agora, para mal dos meus pecados, descobri os prazeres calóricos dos Magnum e não quero outra coisa. 


Lembraste destas marcas? Será que me esqueci de alguma? Quais as marcas da tua infância? Conta-me tudo e faz esta viagem no tempo comigo. 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Donald Trump ou Hillary Clinton?



Mais uma vez, cá estou eu a falar de coisas sérias. Como sabem, é mais fácil divagar sobre questões económicas que nos afectem, do que política pura e dura. É um assunto que me agrada, me preocupa e me interessa. Contudo, é tão polémico e leva a que qualquer opinião simples e sem cor partidária seja interpretada das mais diversas formas. 

No entanto, perante as eleições que se avizinham, não consigo não me manifestar. Começo por dizer que, quem me dissesse, meses atrás, que iríamos ter Donald Trump como candidato presidencial dos Estados Unidos da América, eu enviaria as minhas sinceras gargalhadas e um condescendente voto de melhoras. 

Hoje, o homem está com um pé na Casa Branca. E se, no início, as suas bacoradas me davam vontade de rir e o considerava um milionário à procura de diversão, neste momento sinto-me bastante preocupada com todas as barbaridades que ele consegue despejar boca fora. 



Em qualquer lugar do mundo, o discurso de Donald Trump seria preocupante. No país mais poderoso do mundo ainda mais. As repercussões do que promete aos americanos, pode e vai influenciar tudo e todos. Sinto que seria como abrir uma caixa de Pandora, cheia com tudo aquilo que tememos nos últimos anos. 

Por outro lado, temos a única alternativa, Hillary Clinton. O facto de se poder tornar na primeira mulher a exercer o cargo de Presidente dos Estados Unidos da América não é motivo suficiente para a considerar a melhor candidata para o cargo. Aliás, por muito que defenda a igualdade de género, também acredito que os cargos devem ser ocupados devido à competência e capacidade da pessoa, independentemente se é homem ou mulher. 

Porém, apesar desta candidata também não me encher as medidas, é a alternativa possível aos devaneios apocalípticos de Trump. Aliás, é bem provável que seja a única com a capacidade de o combater e o levar à derrota. Afinal, depois de ter sido Primeira-Dama, Hillary Clinton tem vivido nos meandros da política americana e certamente conhece o seu funcionamento como ninguém. Contando ainda com uma visão do que se passa verdadeiramente na Casa Branca. 



Será ela capaz de derrotar Donald Trump? Terá a capacidade de fazer História e tornar-se na primeira mulher a assumir o cargo de Presidente dos Estados Unidos? Espero sinceramente que sim. Mesmo depois de ter falado com o meu primo americano, que me relembrou que um Presidente americano não tem assim tanto poder, pois está dependente do Congresso, só me sentirei mais descansada sabendo que Trump não venceu e convenceu os americanos que as suas ideias são as mais correctas. 

E tu? Quem achas que vai ganhar? Ou que gostarias que vencesse estas eleições americanas? Donald Trump ou Hillary Clinton? 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

#Desafio 52 Semanas - Os meus "cheiros" preferidos são...



Semana 40 - Os meus "cheiros" preferidos são...

  • Papel - Já não é novidade para ninguém que, leitor que se preze, adora o cheiro do papel. É por causa deste factor importante que não existe e-book capaz de substituir a sensação de abrir um livro e sentir o seu cheiro. 

  • Citrinos - Laranjas, limões, morangos e tantos outros. Simplesmente adoro! E o privilégio que é ter um limoeiro no jardim, sempre à mão e que dá limões o ano todo. Já as laranjeiras fartam-se de dar flor, mas laranjas, que é bom, está difícil. 

  • Bolo acabado de fazer - Ligar o forno para fazer um bolo é sempre algo agradável, com a vantagem de, no final, o cheirinho bom a bolo acabado de fazer ficar espalhado pela casa toda. Tão bom! 

  • Roupa acabada de lavar - Existe sensação melhor do que vestir roupa acabadinha de lavar e secar e sentir aquele cheiro gostoso? Quem pode não gostar?

  • Tinta - Serei a única pessoa tresloucada que adora o cheiro da tinta? E de gasolina? E de diluente? Enfim, essas coisas todas que não são muito boas para a saúde, mas que gosto tanto de sentir o cheiro. 

Podem consultar o Desafio 52 Semanas - Apresentação para ficarem a saber o que já saiu e o que ainda está para vir. 

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Uma noite com... #111 - Especial Rio 2016


Mais um gato olímpico, saído directamente da Lista dos mais sexy, da Rádio Comercial. Um português gostoso e com queda para o ténis. Já adivinharam quem é? 









João Sousa

Podem ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

11 anos a queimar pneus



A pessoa começa a tomar consciência do passar dos anos quando os começa a contar e os números são cada vez mais redondos. É que já entrei nos trinta e sinto que se passou uma eternidade desde que, com 19 aninhos, consegui a minha licença de condução.

Parece tudo tão recente e ao mesmo tempo tão distante. Ainda ontem, passava as minhas tardes no café, agarrada aos livros de exercícios, a treinar para o temido exame de código. No entanto, sinto-me tão distante dos tristes dias em que conduzia tão mal que até dava medo.

Gente sem carta de condução que me está a ler neste momento, desenganem-se. A menos que já saibam conduzir, não passarão a saber conduzir só porque conquistaram o direito a conduzir. Essa aprendizagem faz-se com a prática diária. Dia após dia irão conduzir melhor e espera-se que, um dia, deixem de ser azelhas ao volante.

Pelo menos, assim foi comigo. Tinha pânico de rotundas e da possibilidade de ser forçada a parar e arrancar, com tanta gente a assistir. No fundo, o que nos enerva são as nossas inseguranças e o facto de termos pessoas a observar-nos e a pressão que essa malta exerce sobre os nossos parcos conhecimentos.

Hoje, não me imagino sem o meu carro e a liberdade que ele me proporciona. E conduzir é uma das actividades que mais prazer me dá. Só é pena o preço proibitivo da gasolina, porque adoro sair de carro, sem destino, e partir à aventura e à descoberta. Aliás, uma das minhas viagens de sonho seria uma Road Trip por Itália.

Tudo isto para dizer que, no dia de hoje, celebram-se 11 anos desde que tirei a minha amada, e tão necessária, carta de condução! 11 anos... Uma efeméride importante na história da minha vida e que hoje partilho com vocês.

Agora digam-me se já andam pela estrada fora a conduzir o vosso bólide? São assim tão antigos como eu? Ou ainda não se aventuraram na condução automóvel? 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Quando eles são como elas



Existem homens e mulheres para todos os gostos, graças a Deus. No entanto, quando separamos homens e mulheres ocorre-nos uma série de adjectivos que encaixam ora num ora noutro. De um lado temos as mulheres, mais sensíveis, dando mais importância às emoções e aos sentimentos. Corre o mito urbano de que são mais choronas e lamechas, sempre à espera de um gesto romântico da cara metade. Pouco racionais, até. 

Do outro lado estão os homens. Um ser mais dado à razão. Simples, básico e de fácil compreensão. Quando diz que sim, é isso que quer dizer. Quando diz que não, o mesmo acontece. Não existe complexidade mental. Mais dados a actividades físicas e pouco amigos de demonstrações de afecto. Especialmente, em público. 

A isto se chama de estereótipos. Porque és mulher, tens de ser sensível e lamechas. Porque és homem, é tua obrigação ser durão e gostar de futebol. Então, e se trocássemos isto tudo? Mulheres a serem duronas e homens fofinhos e sentimentais? Quantos exemplares, que não se encaixam nos rótulos que a nossa sociedade insiste em colocar nas pessoas, já encontraram pela vida fora?

Já encontrei tantos, que até já perdi a conta. Mais homens que mulheres, é certo. Mas ainda assim, muitas pessoas não se encaixam nas expectativas que involuntariamente colocamos sobre quem nos rodeia. 

Agora, tenho de ser sincera. Não aprecio aquela coisa do macho latino, tão popular em tempos idos. E ainda aprecio menos estes homens lamechas e fofoqueiros, e que ainda demoram mais tempo do que nós, mulheres, a sair de casa. É que a experiência diz-me que, quando um homem é lamechas, é pior do que a mulher mais neurótica. Quando um homem é fofoqueiro, é pior do que as alcoviteiras de bairro ou da aldeia. E quando é vaidoso, pessoas? Colocam mais cremes e passam mais tempo em frente ao espelho do que tu e as tuas amigas todas juntas. 

Como já referi antes, não defendo que os homens devem seguir a máxima do feios, porcos e maus. Bem pelo contrário. Tenho acompanhado com bastante agrado o quanto os homens portugueses têm ficado mais bonitos, mais cuidados, de ano para ano. As ruas ficam mais agradáveis para as vistas e até dá gosto passear pelas cidades. 

O que critico são os exageros. Esta coisa dos senhores homens quererem ocupar os nossos, já de si reduzidos, espaços na casa-de-banho e no roupeiro, não está com nada. Existem uma certa simplicidade nos rituais masculinos que seria interessante manter, não concordam? 

A manter seria um interesse moderado, a tender para o reduzido, pela vida alheia. Esse é o tipo de conversa que gostamos de ter com as amigas. Com o namorado, é dispensável. A menos que pretendam ser catalogados na friend zone, sem perspectivas de saída à vista. 

Quanto à "lamechice", certamente vão encontrar mulheres que irão amar esta vossa faceta. Pela parte que me toca, dispenso essa parte. Uma surpresa no momento certo, parece-me bem. Muito mais que isso, é coisa que me irrita. Então e as cobranças e inseguranças, típicas de homens assim, pior ainda. Contudo, acredito que encontrarão a mulher certa. A mulher que gosta deles assim. Que espera, com ansiedade, pelo homem que lhe dá provas de amor, minuto a minuto. Serás tu? 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

#Desafio 52 Semanas - As minhas melhores qualidades



Semana 39 - As minhas melhores qualidades

  • Inteligência 
  • Ambição
  • Resiliência 
  • Generosidade
  • Sensibilidade 
Podem consultar o Desafio 52 Semanas - Apresentação para ficarem a saber o que já saiu e o que ainda está para vir. 


sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Uma noite com... #110 - Especial Rio 2016


Esta semana fiquei tomada pelo espírito Olímpico e fui buscar inspiração na Lista dos mais sexy dos Jogos Olímpicos, divulgada pela Rádio Comercial. Se não sabem de que lista estou a falar, vocês é que nem imaginam o que estão a perder, meus amigos. É pró menino e prá menina, pessoas! 

Mas aqui nesta rubrica, ainda mando eu e, portanto, ainda não chegaram cá gajas boas. Assim sendo, ficamos com um dos gatos mais gatos do panorama desportivo nacional e até internacional. 









Nelson Évora

Podem ver os gatos das semanas anteriores aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...