terça-feira, 20 de junho de 2017

#Review - Recebidos Oriflame III



Podem soltar os foguetes porque vai sair, hoje, mais uma review com alguns dos produtos Oriflame que recebi nos últimos tempos. Isto vai devagar, mas vai que é o que interessa, certo? Caso tenhas perdido as reviews anteriores, podes ir espreitar aqui e aqui. 

Antes de passar às opiniões do dia, quero lembrar que estes produtos foram-me enviados no âmbito da parceria com a Equipa Orineves o que não interfere de forma alguma ou influencia o que vou escrever sobre os mesmos. As minhas opiniões serão sempre as mais verdadeiras e transparentes e por isso faço questão de experimentar devidamente o que recebo antes de tecer juízos de valor. 

Agora que estamos esclarecidos nesse aspecto, vamos passar ao que interessa, sim?


Na primeira remessa de recebidos só me faltava falar sobre os pincéis que ganharam espaço na minha cómoda. São cinco pincéis num delicado estojo que, por falta de tempo e oportunidade, ainda não tinham sido devidamente usados. Coisa que tratei de resolver nas últimas semanas. Confesso que não experimentei todos os cinco, mas daquilo que utilizei fiquei muito bem impressionada. 

Gosto particularmente do pincel de esfumar, que deve ser o que mais uso. Cumpre o seu objectivo e é extremamente suave, ajudando a espalhar as sombras e a misturá-las de forma natural. Até à data, está no top das preferências, devo dizer. 


Das Barras Natural Balance Superbagas já falei tudo o que havia para dizer, portanto, é chegada a hora de opinar sobre o Creme CC em Spray HairX. Trata-se de um creme 10 em 1, cujas funções são:

1. Recupera a Hidratação
2. Brilho
3. Suavidade
4. Controlo Antifrisado
5. Protecção da Cor
6. Densifica os fios
7. Desembaraça
8. Previne as pontas espigadas
9. Termoprotector
10. Controla os cabelos rebeldes

De facto, eram muitas promessas e as expectativas estavam em altas. No entanto, não me posso esquecer das características do meu cabelo: fino e com tendência para ser oleoso. É por isso que não tenho por hábito aplicar produtos leave-in no cabelo. Acredito que funcionem muito bem noutras pessoas cujos cabelos tenham outras características. No meu caso particular, nenhum funciona como era devido. 

Infelizmente, não encontrei aqui uma excepção. O meu cabelo não se adapta a este tipo de produto e torna-se oleoso mais rapidamente, para mal dos meus pecados. No entanto, acredito que noutro cabelo pode ter resultados positivos. Aliás, se gostavas de experimentar, não te importas que já tenha tido algum uso e estás disposta a partilhar a tua opinião, avisa-me, ok?


O terceiro produto de que te vou falar faz parte dos últimos recebidos, mas já me deixou rendida. Aliás, ainda antes de o colocar a uso já tinha dado conta do seu aroma inebriante, que não ficou em nada comprometido depois de ser experimentado. Falo do Sabonete com Hortelã e Framboesa Energizantes Love Nature que pode muito bem ter sido a junção perfeita. Quem resiste ao cheiro a framboesas? Com o bónus extra de ter também um gel de banho da mesma gama à minha espera na banheira. 

Agora que já te contei tudo sobre estes produtos, quero-te falar sobre as vantagens exclusivas para ti, seguidor deste blog, caso decidas inscrever-te como Cliente VIP. São elas:
  • Presente de boas-vindas ao efectuares a tua inscrição directa ou compra online
  • Oferta de um Kit de Maquilhagem, no valor de 25€, ao criares o teu registo, enviares a Ficha de Inscrição e primeira encomenda de qualquer valor
  • Os novos assessores, registados através desta parceria, terão acesso a um sorteio que decorre de 3 em 3 catálogos onde se poderão habilitar a um kit de produtos a seleccionar
Portanto, se queres aproveitar esta oportunidade única, podes confirmar tudo aqui. Em caso de dúvida, já sabes que estou inteiramente à disposição, bem como o Joaquim

E, por favor, não te esqueças que está a decorrer um Passatempo, até dia 29 de Junho, onde podes receber dois produtos Oriflame só para ti. Já estás a participar, certo??

Já conhecias os produtos que te apresentei hoje? Qual o que gostaste mais?

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Desafio de Cinema (29/52) - Sobre Dança



O início de cada semana é sinónimo de Desafio de Cinema e de mais um tema a ser explorado. Sendo que o desta semana me encanta particularmente. Sou muito fã de filmes de dança, desde que a qualidade esteja lá. No argumento e nas danças, claro. A verdade é que, nos últimos anos, temos visto aumentar a oferta deste género de filme com uma qualidade muito interessante. 

É o caso dos filmes Step Up, que conta com cinco filmes lançados, cada um melhor do que o outro. A cada novo lançamento é notório o quanto a exigência cada vez é maior, bem como o empenho em nos trazer as melhores coreografias. No entanto, acho que para quem não conhece faz sentido começar pelo primeiro. 

Que conta com o senhor gato Channing Tatum logo para começar em beleza. A mensagem a reter é a de que todos merecem uma segunda oportunidade e que essa oportunidade pode muito bem chegar através da dança e abrir portas para sair da marginalidade e do crime. Uma paixão tem a capacidade de nos transportar para onde quisermos e devolve a capacidade de sonhar e lutar por esses sonhos. 

E a dança, apesar de ser a mais simples, é tão especial que só de estar aqui a falar contigo sobre esta saga, já fiquei com vontade de ir rever as melhores cenas. Quanto a ti, aproveita a dica e faz o mesmo. Ja conhecias estes filmes? Qual o teu favorito?


Sinopse
Tyler Cage é um adolescente que vive numa zona de subúrbios, filho adoptivo de uma família com inúmeros problemas e com carências financeiras. Na sequência de uma brincadeira com os amigos, vê-se envolvido num incidente de assalto a uma escola - a Maryland School of Arts e é apresentado ao Juiz e condenado a um número de horas de serviço comunitário a cumprir nessa mesma escola.

É exactamente na sequência disso, que Tyler conhece Nora Clark, uma jovem que sempre sonhou ser bailarina e cuja apresentação final para conseguir uma importante e vital bolsa de estudo ocorre daí a uns meses. É com Nora que Tyler aprenderá, pela primeira vez na vida, a lutar por um objectivo...



Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

domingo, 18 de junho de 2017

Passatempo - Oriflame by Orineves



O final desta semana foi muito complicado, porque a vida acontece e tornou-se impossível conciliar os compromissos profissionais com a vida social e ainda tratar do que tinha programado para o blog. Isto sem falar da Internet que não tem colaborado, para não variar. Agora já chega de lamentações, que o que hoje aqui me traz são boas notícias para ti. 

Vamos dar início a mais um passatempo, como te prometi quando apresentei os novos recebidos. Isto tudo é fruto da Parceria Orineves que, além de me enviar produtos novos para descobrir, permite que os partilhe também contigo. Passemos aos prémios?




Para te habilitares a estes prémios só precisas de:




Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e este será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 29 de Junho.
Agora que já estás a participar no mais recente passatempo deste blog, podes ir dar uma vista de olhos pelo Catálogo 9 e verificar o que podes ganhar se te tornares Cliente VIP através desta parceria de sucesso. 

Boa sorte, pessoas! 

terça-feira, 13 de junho de 2017

#Livros - Harry Potter e a Criança Amaldiçoada



Sinopse
Em 2016 chega-nos em português o novo livro de Harry Potter, o célebre personagem de J. K. Rowling. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada (Harry Potter and the Cursed Child) traz de volta as personagens mais carismáticas da série: Harry, Ron e Hermione, agora adultos, mas também os respectivos filhos e com estes desafios novos... e antigos:
- O que aconteceu depois de Hogwarts?
- E com o fim de Voldemort, estará o mal erradicado de vez?

Baseado numa história original de J. K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne, Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - a nova peça de teatro de Jack Thorne -, cuja estreia mundial decorreu no West End, em Londres, no passado dia 30 de Julho, é a primeira história oficial de Harry Potter a ser apresentada em versão teatral. 

Foi sempre difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele se tornou num muito atarefado funcionário do Ministério da Magia, casado e pai de três crianças em idade escolar. 
Enquanto Harry luta com um passado que se recusa a ficar para trás, o seu filho mais novo, Albus, tem de se debater com o peso de um legado familiar que nunca desejou. Quando o passado e o presente se cruzam, pai e filho confrontam-se com uma desconfortável verdade: por vezes as trevas vêm de lugares inesperados.

A oitava história. Dezanove anos depois.

Opinião
O livro de hoje não é propriamente uma novidade total. Afinal, já aqui falei de Harry Potter and the Cursed Child, livro que nos veio devolver o fascínio e o mistério de voltar a ter uma nova história desta saga que deixou uma saudade imensa e incomparável.

Mas como prometido é devido, aqui estou para falar um pouco sobre a história, agora traduzida para o nosso português. Uma tradução que está bem longe de ser perfeita, o que já esperava dada a rapidez com que foi realizada. Mais ainda pelo facto de não contar com nenhuma das pessoas que o fez ao longo dos sete livros anteriores. Pode parecer apenas um pormenor, mas não estamos a falar de uma história comum, mas de todo um universo criado, com especificidades singulares e que, na minha opinião, deveria ter contado com alguém habituado a tudo isto.

A minha paixão por Harry Potter é lendária, o que podes comprovar nesta TAG se ainda te restarem dúvidas. É inacreditável e impossível de transmitir por palavras a emoção de segurar um novo livro. No entanto, quando me propus a ler a versão traduzida imaginei que seria uma leitura calma, pausada, sem ânsias pois já conhecia o seu desfecho. Quanta ilusão da minha parte...

Assim que comecei a ler Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, senti-me novamente mergulhada no universo mágico. Presa entre os campos de Hogwarts e os gabinetes do Ministério da Magia. E posso dizer que só parei de ler na última página, já o dia tinha nascido. Com todas as falhas que esta história possa ter, só por recuperar esta sensação de alheamento consciente já valeu a pena.

Passando à história propriamente dita, este será o momento em que deves parar caso ainda não tenhas lido o livro, pois existirão alguns spoilers. Não pretendo contar o enredo nem irei revelar nada que estrague a leitura, mas ainda assim se não queres saber mais nada é melhor voltares quando tiveres o teu livro, ok?

Volto a afirmar que não me sinto familiarizada nem delirante com o estilo dramático. Estamos todos habituados a uma narrativa extensa, repleta de pormenores e informações interessantes e que ajudam a compor a história, o que não será encontrado neste novo Harry Potter. Os diálogos são, na maioria, muito pobres e desprovidos de conteúdo.

Por exemplo, o que fizeram com o Ron é uma coisa um tanto ou quanto irritante. Está certo que ele nunca foi o supra-sumo da inteligência, as suas piadas tornaram-se lendárias, bem como o seu talento para a inconveniência. Mas daí a retratá-lo como alguém sem capacidade para a acção, que SÓ diz piadas durante todo o livro, talvez seja demais.

O filho do Harry, Albus Potter, é um miúdo intragável. Espero que no final tenha, de facto, aprendido a lição e se torne alguém mais interessante, porque o que nos é apresentado não permite criar muita empatia. Já o Scorpius, filho do Draco Malfoy, é do melhor que já vi. Inteligente, com sentido de humor e com verdadeiro sentido de lealdade. A amizade destes dois é tão forte que nos derrete.

Aliás, o próprio Draco ganha um lado mais emocional, até porque esta deverá ser a primeira vez que nos deparamos com o seu ponto de vista, actual e do passado. O momento em que revela que sentia inveja da amizade do nosso trio é emocionante, bem como a forma como se alia ao lado dos seus antigos inimigos para proteger o filho.

Muito podia dizer sobre este livro e outro tanto já foi dito por essa Internet a fora, mas o que quero que entendas é que é um formato diferente do que estamos habituados e que por isso mesmo a experiência é diferente. Mais pobre, certamente. O que não retira o seu valor como o relato do que aconteceu após a Batalha de Hogwarts que culminou com o fim de Lord Voldemort.

Afinal, a magia está toda lá, à espera que olhes para ela e te apaixones, como tantos outros antes de ti. Alinhas nesta viagem?

"Tudo o que sempre quis foi ir para Hogwarts e arranjar um amigo com quem fazer asneiras. Tal como o Harry Potter. E arranjei o filho dele. Mas que sorte tão louca."

Podes encomendar o teu exemplar de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada aqui, com 10% desconto em cartão e portes grátis. 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Desafio de Cinema (28/52) - Curta-Metragem



Agora que já virámos metade deste desafio, chega um tema que me deu muito que pensar. Inclusivamente, estava tão aflita que cheguei a ponderar pedir a tua ajuda para escolher a sugestão perfeita para aqui partilhar. É que este universo das curtas não são, de todo, a minha praia. 

Claro que com isto, dei por mim mais atenta e percebi melhor em que consiste e como podem ser boas. No entanto, isso não invalida que continue a preferir as longas metragens. Passa-se o mesmo quando escolho um bom livro. Na dúvida, dou sempre preferência ao que tem mais páginas. 

Isto acontece porque gosto de explorar as histórias e as personagens ao máximo e de obter toda a informação possível e imaginária. Vá, já chega de divagações que o que interessa hoje é a curta-metragem que tenho para te dar a conhecer, certo? 

Portanto, o que me salvou esta semana foi um mero acaso que me fez chegar à curta realizada pelo Diogo Morgado e protagonizada pelo Rui Unas e pela Lúcia Moniz. E se estes nomes já eram suficientes para me despertar o interesse, mais interessada fiquei quando reparei no tema

"Break" fala da necessidade que todos sentimos de fazer uma pausa, de ter um tempo só para nós, um espaço onde nos isolar do mundo e nos encontrar com a nossa essência. E das reacções que isso pode provocar... Já agucei a tua curiosidade? Ou será que já conhecias este trabalho?


Sinopse
André é alguém com a necessidade de uma pausa.
Num mundo onde a vida é tão fútil e frágil, ele só precisa de um tempo.
Mas o que é a realidade, quando esse "tempo" se torna... demasiado grande?

Podes e deves assistir a esta curta-metragem no Youtube, disponível aqui.


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os próximos temas. 

domingo, 11 de junho de 2017

#Parceria - Recebidos Oriflame 09-2017



O "nosso" Joaquim estraga-me com mimos e esta semana que hoje termina (sim, para mim as semanas terminam no Domingo, não começam ao Domingo) recebi um saco cheio de coisas boas. Ainda foi ontem, ou assim parece, que recebi a última remessa com dois produtos promissores, e já aqui estou outra vez com mais coisas novas para te mostrar. 

Antes de passar às apresentações das novidades Oriflame que vieram morar para minha casa, tenho duas coisas para te dizer. Primeiro, que na próxima semana irá sair mais uma review com produtos recebidos ao longo desta parceria. E enquanto esperas por mais opiniões podes sempre relembrar a última review, ok? Em segundo lugar, quero que fiques com as antenas ligadas no blog porque irei lançar mais um fantástico passatempo onde terás a oportunidade de receber também produtos Oriflame. 

Já sei que estás em pulgas para o que aí vem, que está para muito breve, mas agora é o momento dos recebidos, por isso aguenta a curiosidade e trabalha a paciência, recurso tão escasso nos dias de hoje. Queres saber o que recebi? Então é só espreitar as fotos que se seguem! 


Começo por dizer que gostei de todos os produtos que recebi, no sentido em que terei muito gosto em os experimentar. No entanto, o primeiro deixou-me exultante porque tinha muita vontade de conhecer melhor a gama de solares da Oriflame. Não podemos esquecer o quanto é importante proteger a pele todo o ano, mais mais ainda no Verão. Assim, vou utilizar nos próximos tempos o Creme Solar para o rosto e zonas expostas com um FPS 50, adequado à minha pele deslavada branca como a neve.

Na foto, como podes ver, está também o Gel Depilatório Silk Beauty, que está a um preço inacreditável no Catálogo 9. Segundo a marca, é um gel que prepara a pele para as agressões da depilação com lâmina, evitando a probabilidade de cortes. Promete ainda suavizar a pele a abrandar o crescimento do pêlo. Se tudo isto for verdade, tenho a impressão que vamos ser os melhores amigos neste Verão. 


Da mesma gama, recebi um Sabonete com Hortelã e Framboesa Energizantes Love Nature e um Gel de Duche Esfoliante com Hortelã e Framboesa Energizantes Love Nature. Sobre o sabonete posso já avançar que, mesmo na embalagem fechada, o seu aroma era delicioso, agora imagino quando o colocar a uso. 

O gel de banho também tem o mesmo aroma delicioso - daqueles que dá vontade de comer - e a sua função de esfoliante parece-me muito interessante. Afinal, quem resiste a ter várias funções num mesmo produto? Eu é que não sou! O que significa que a possibilidade de lavar o corpinho ao mesmo tempo que faço uma pequena esfoliação à pele parece-me uma excelente ideia. E dado que tenho um gel depilatório para experimentar, julgo que uma esfoliação antes será útil. 

Agora que os produtos novos estão apresentados, não te esqueças de deixar o teu like na página do Joaquim Neves, consultar o novo Catálogo Oriflame e conferir o que podes ganhar ao te inscreveres como Cliente VIP

Já conhecias estes produtos? Qual o que te deixou com mais curiosidade?

sábado, 10 de junho de 2017

O Orgulho Português



10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Hoje, comemora-se este feriado, não só em Portugal, mas no mundo. Afinal, é possível (e altamente provável) encontrar um português no local mais remoto deste planeta, tal é a força com que nos espalhamos por tudo o que é canto. 

Para mal dos meus pecados, irei passar este feriado nacional a trabalhar. No entanto, como orgulhosa portuguesa que sou não poderia ignorar a data. Afinal, nunca tivemos tantos motivos para celebrar a nossa portugalidade. Portugal está na moda e nas bocas do mundo, desta vez, por assuntos que nos deixam muito felizes. 

Somos Campeões da Europa de Futebol. As nossas cidades nunca foram tão desejadas e o reconhecimento do tanto que temos para oferecer aos turistas atingiu níveis nunca antes vistos. Vencemos o Festival da Eurovisão. Gente famosa no panorama internacional quer ter uma casa no nosso país. Como não sentir o orgulho português?

Finalmente, temos feitos contemporâneos. Para mencionar situações de destaque, já não precisamos viajar no tempo e falar das importantes viagens de navegação que deram novos mundos ao mundo. Dos homens corajosos que foram desbravar terras inóspitas e levaram a nossa cultura aos cinco continentes. 

O que não invalida que sejam ensinados esses feitos aos mais novos. Mais um vez volto a defender que só poderemos construir um futuro melhor quando conhecemos o nosso passado. E o nosso passado, com quase 900 anos - que faz de nós o país mais antigo da Europa -, seja remoto ou mais recente, só nos pode encher de orgulho e vontade de fazer mais e melhor. 

Celebrar as Comunidades Portuguesas também me parece de valor, pois são os que mais preservam a nossa cultura e os que mais sofrem por estar longe da sua pátria. Pela primeira vez, acredito que se sintam olhados com respeito e admiração por muitos, ao invés dos olhares de desprezo lançados pelos habitantes dos países que os acolheram. 

Essencialmente, acho que deves aproveitar e desfrutar do feriado, sem nunca esquecer o que se comemora neste dia. Este é o nosso dia, o de todos os portugueses. E como temos sorte por ser portugueses! Já não é desdita, não é fado ou destino. É mesmo uma grande sorte. Certo?


quinta-feira, 8 de junho de 2017

#Review - Verniz Kiko



Foram necessários uns meses valentes para voltar a dedicar-me às minha queridas unhas. Mas, como se costuma dizer, antes tarde que nunca, não é mesmo? O que importa realmente é que voltei a dedicar-me às mesmas e a dar uso aos lindos vernizes que vivem no meu quarto, que já pensavam terem sido abandonados.  

Nomeadamente, ao verniz da Kiko que recebi em Outubro do ano passado. Não sei muito sobre ele, tirando o óbvio, que tem uma cor muito gira. Não encontrei as informações relativas ao número e à cor, mas o importante é perceber se cumpre a sua função, certo?


Apesar de ainda estarmos na Primavera, está calor e na nossa cabeça já é Verão há muito tempo, pelo menos na minha assim é. Com isto quero dizer que este castanho não é a melhor cor do mundo para esta altura. No Outono e no Inverno acredito que irei abusar dele, mas neste momento, após este teste positivo, irá encostar às boxes e dar lugar a cores mais alegres e vibrantes. 

Para perceberes bem o quanto o senhor verniz da Kiko é bom, esta foto que vês, foi tirada ao fim de uma semana e continuava perfeitamente capaz de aguentar mais uns dias, com uns singelos retoques. Em termos de resistência convenceu-me completamente e passarei a visitar a loja da Kiko com mais atenção, pois pretendo testar outras cores para confirmar esta característica. 

A cor é mesmo bonita, adequada para looks sóbrios, mas sem entrar em conflito com visuais mais coloridos. Em termos de aplicação, tem um pincel muito prático que torna a tarefa rápida e simples. Isto se não contarmos com a minha incapacidade física de fazer coisas decentes com a mão esquerda.

Faltas de jeito à parte, tenho também de voltar a destacar as Toalhitas Removedoras de Verniz The ONE que mais uma vez revelaram o quanto são boas, com apenas uma toalhita retirei o verniz das duas mãos sem esforço. Aliás, já aqui falei delas e estou inteiramente rendida.

Já experimentaste algum verniz Kiko? Qual me aconselhas para comprar em breve? 

terça-feira, 6 de junho de 2017

#Livros - Ser Blogger, de Carolina Afonso e Sandra Alvarez



Sinopse
Os avanços tecnológicos vieram permitir a emergência de um novo tipo de influenciadores: os bloggers. Hoje em dia as pessoas recorrem cada vez mais a bloggers como fonte de informação e referência sobre um determinado produto, serviço ou empresa. Segundo dados do Bareme/Marktest, cerca de 1,8 milhões de pessoas visitam com frequência blogs em Portugal.

Ensinar como criar um blog, comunicar e gerar receitas é o objectivo principal deste livro que pretende reunir toda a informação essencial necessária para quem se pretende iniciar como blogger, elaborar a sua estratégia e pô-la em prática eficazmente. A perspectiva é de duas profissionais das áreas do marketing e da comunicação que ao longo das suas carreiras têm vindo a acompanhar de perto a blogosfera, não só na relação próxima com bloggers mas também na vertende de como pode um blogger gerar receitas com um blog.


Este livro para além de ser um facilitador na definição e orientação de quem quer ser blogger, proporciona também diversas soluções práticas e exemplos de best practices com testemunhos de alguns bloggers de relevo em diversas áreas em Portugal.


Opinião
Na semana passada, falei sobre a escolha de um nicho, não só mas principalmente porque não fui capaz de continuar a ignorar o assunto depois de terminar este livro. Contudo, como prometido, hoje é que terás oportunidade de ler a opinião completa sobre o mesmo. Até porque muito há para dizer sobre ele. 

Assim que os meus olhos bateram nesta novidade literária fiquei desejosa de lhe pôr as mãos em cima. Tanto que dei como sugestão para comemorar o Dia Mundial do Livro e em menos de um mês já fazia parte da lista de novidades na minha estante. Simplesmente não lhe consegui resistir e, se este tema é do teu interesse, também não o devias fazer. 

Não é a primeira vez que o digo, mas tenho de repetir. Em Portugal, fala-se muito pouco deste universo. É praticamente missão impossível encontrar dicas de valor ou métodos específicos para o que quer que seja. Existe alguma vontade por parte de algumas bloggers de abordar o assunto, mas nunca encontrei nada verdadeiramente útil ou diferenciador. 

Sempre que quis melhorar as minhas habilidades ou estratégias de divulgação e promoção do blog, fui obrigada a ir beber conhecimento a blogs brasileiros, ingleses ou americanos. E é aqui que chega este livro que parece uma caixa de Pandora, onde se encontram todos os assuntos, explicados de forma simples e eficaz. Com o verdadeiro intuito de ensinar e orientar no caminho longo e, por vezes, agreste que é o de quem decide ter um blog. 

Vai dos conceitos mais básicos necessários à criação do blog, aos elementos que todo o blog deve ter no seu layout, ao autoconhecimento necessário para perceber qual o caminho certo a seguir, até aos mais complexos, como a presença essencial nas redes sociais, com o quais, o como e o porquê para cada uma, as formas diversas de rentabilizar um blog e a importante análise das métricas como forma de perceber melhor o público e o que se pode melhorar. 

Claro que muito terá ficado por dizer, afinal este é um universo em crescimento e constante evolução. No entanto, como suporte básico para iniciar e orientar, acredito que cumpre plenamente a sua função. Na minha opinião, é o livro que já faltava ser publicado e as autoras fizeram um excelente trabalho, pois falam sem falsos pudores de um assunto premente na sociedade portuguesa. 

Além disso, tiveram a brilhante ideia de criar um blog, o Influenciadores, onde podemos ter acesso a mais conteúdos e actualizações sobre este tema, o que faz todo o sentido, dado que o mesmo não se esgotou após a publicação do livro, bem pelo contrário. 

Apesar de já o ter lido duas vezes, este menino tem o seu lugar cativo na minha secretária, local onde trabalho diariamente para este blog, porque sei que o irei consultar imensas vezes. Quando tiver uma dúvida sobre algo que li, ou quando quiser aplicar uma estratégia ou analisar determinada forma de divulgação ou rentabilização. 

Portanto, se tens um blog ou estás a pensar criar um nos próximos tempos, tens mesmo de ter esta "Bíblia" da blogosfera. Acredita em mim, vais dar por bem empregue o dinheiro e o tempo que lhe vais dedicar, porque só tens a ganhar com ele. Tu, o teu blog e todos os que te lêem. 

"Um blog escrito de forma informal não implica um blog cheio de erros ortográficos e de más construções gramaticais. É a escrita informal que traz o charme a este formato de blog. Muitos leitores gostam do tom coloquial de conversação, por ser acessível e fácil de ler, e associam naturalmente um blogger que escreve num tom informal a uma pessoa acessível e amigável."

Podes adquirir o teu exemplar na Wook, com portes grátis e 10% de desconto imediato. 

Já conheces este livro? Já te rendeste aos seus ensinamentos? :) 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Desafio de Cinema (27/52) - Fashion



Pois é, depois da música, é chegada a vez da Moda. Um tema apaixonante, como muito bem sabes, mas que não se encontra no Cinema, pelo menos de uma forma óbvia à primeira vista. Ainda pensei escolher um filme sobre uma personalidade da Alta Costura, até porque gosto bastante de filmes baseados em histórias reais e que nos mostrem mais sobre o que julgamos conhecer de determinadas personalidades.

Só que depois, veio-me à memória o filme que se segue e pensei que seria uma escolha interessante, sem uma carga tão pesada. No entanto, sem perder a qualidade e o talento. E talento, minha gente, é o que não falta em O Diabo veste Prada! Começamos logo com a gigante Meryl Streep, que empresta o seu reconhecido saber e cria uma personagem intragável e, ao mesmo tempo, dona de fragilidades e problemas como o comum dos mortais.

Com este filme, entramos no universo da moda olhando-o pelo buraco da fechadura, vendo o seu lado de glamour e prestígio sem conseguir ignorar o seu lado mais negro. Aqui, a minha grande falha é que ainda não li o livro que deu origem a este filme, erro esse que tenciono reparar muito em breve.

Se decidires ver O Diabo veste Prada, podes contar com um tempo bem passado, com um filme leve, mas ainda assim com algumas mensagens interessantes. Sem esquecer os inúmeros figurinos de cortar a respiração, claro.

Já conhecias este filme? Qual a tua opinião?

Sinopse
Uma jovem jornalista consegue um emprego na revista de moda mais conceituada de Nova Iorque, onde precisa lidar com uma exigente executiva. Andrea Sachs (Anne Hathaway) é uma jovem que conseguiu um emprego na Runaway Magazine, a mais importante revista de moda da Big Apple, a trabalhar como assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), principal executiva da revista.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

O melhor do mundo são as crianças



Até à data, não tenho crianças "próprias" nem tenho em mim uma vontade avassaladora de as ter. É verdade que gosto muito, na maioria dos casos, de crianças, especialmente as inteligentes. Só não tenho o desejo egoísta de ser mãe a todo o custo e de qualquer maneira. Ou talvez tenha o desejo egoísta de manter o controlo da minha vida. De não amarrar a minha vida a outra pessoa com um laço eterno, de continuar a ser o epicentro da minha existência.

Divagações à parte, começo a notar que as "minhas" crianças, aquelas que ocupam um lugar especial no meu coração, começam a fugir da infância com uma velocidade assustadora. Porém, como a vida é um ciclo que se repete, novas crianças nascem e novas aventuras começam. Porque as crianças são fascinantes.

Existe uma inocência e uma pureza que só é possível encontrar nos olhos de uma criança. A forma como olham para o mundo ensinam-nos, todos os dias, que enquanto adultos complicamos tudo, até o mais simples. É inebriante constatar a forma como crescem e formam a sua própria personalidade, desde tão cedo, e o quanto podemos influenciar a pessoa em que se tornam, acima de tudo, pelo exemplo e pelos diálogos abertos, claros e sem aquela coisa do "quando fores maior eu explico-te".

Da minha infância guardo as melhores memórias, embora sempre tenha tido uma imensa pressa de crescer e entrar no mundo dos adultos. Mas acredito que todas as crianças merecem uma  infância feliz, com amor, carinho e tempo para serem apenas crianças. Este dia existe, precisamente,  porque sabemos que os seus direitos são violados diariamente e não estão ao alcance de todas.

Contudo, hoje apetece-me celebrar as crianças e ver o copo meio cheio. Portanto, espero que já tenhas adquirido o livro perfeito para o teu petiz e comemores a data com a maior alegria do mundo. Afinal, o melhor do mundo são mesmo as crianças! 

quarta-feira, 31 de maio de 2017

5 Dicas para fazer férias sem estourar o orçamento



Já se passou mais de um ano desde a última vez que fiz um post totalmente sobre viagens e férias e destinos de sonho e todas estas coisas que nos roubam suspiros, especialmente nesta altura em que a malta já só pensa nos dias de férias a que tem direito e no quanto estão perto, e ainda tão longe. Admite, só com esta pequena introdução, quantos suspiros já te roubei?

Eu confesso, fui obrigada a fazer uma pausa, pois já estava de olhos vidrados com o pensamento perdido por entre todos os planos que vivem na minha cabeça relacionados com a temática FÉRIAS! Este ano, as ditas não me escapam e vou gozá-las ao máximo. Haja força e dinheiro no bolso. Sendo que este último é a parte mais complicada da coisa. 

Nesse sentido, no ano passado, fiz o Top 10 Escapadinhas Económicas na Europa, e é com esse mesmo propósito que hoje venho partilhar cinco dicas para se fazer umas boas férias sem estourar o orçamento e declarar falência técnica ao final de uma semana. Até porque a vida continua e as despesas não se compadecem desses pormenores. 

Portanto, para que isso não te aconteça (ou volte a acontecer), vamos procurar formas de evitar esse cenário catastrófico e encontrar a fórmula perfeita para viver umas férias fantásticas sem arruinar a carteira. Vamos às dicas?

1. Vai para fora cá dentro


Irá depender sempre da tua disponibilidade financeira, mas a forma mais imediata de poupar algum dinheiro na hora de ir de férias é ficares por terras lusas. Longe de mim desencorajar que se conheça mundo, logo eu que espero ansiosamente pelo dia em que me seja possível viver a viajar. No entanto, na maior parte das vezes, olhamos para o "exterior" com deslumbramento e somos uns totais ignorantes acerca do que de melhor temos. 

Pois, é que em Portugal, país pequeno à beira-mar plantado, temos de tudo. Queres fazer o circuito praia-piscina-praia? Temos tantas e das melhores. Queres uma rota cultural? O que não nos falta são cidades repletas de História e acontecimentos culturais. Queres a tranquilidade do campo? Há quem diga que não existe verdes como os de Portugal. Portanto, não tens mesmo desculpa para não escolher um destino nacional para estas férias, certo?

2. Pesquisa a opção de transporte mais económica


Dado que a ideia é sair da nossa zona de conforto e descobrir lugares novos, isso implica uma deslocação, seja ela longa ou curta. O que se traduz numa despesa acrescida para as tuas férias. E é por isso mesmo que a pesquisa da melhor opção é tão importante. Ao poupares na deslocação, libertas dinheiro para gastar noutras coisas mais divertidas ou interessantes. 

Contudo, esta não é uma fórmula isolada, a menos que vás viajar a solo. É preciso dares algum uso à matemática que te resta na memória (que no meu caso é reduzida e só funciona quando se lhe coloca um € à frente), para encontrar a opção mais económica. Primeiro deves determinar quantas pessoas são. A partir daqui podes começar os teus cálculos, pesquisando o preço de bilhetes nas várias possibilidades de transporte para o destino em questão. 

Porém, não deves ignorar a hipótese de levares um carro. Faz as contas de quanto ficaria a viagem e divide esse valor pelo número de pessoas. Agora sim estás em condições para fazer uma comparação realista e determinar qual o mais amigo da tua carteira. Não te esqueças de verificar se existe algum desconto associado de que possas usufruir. Sei do caso da CP, por exemplo, que dispõe de bilhetes com desconto mediante a compra antecipada dos mesmos. 

3. Tira partido do Airbnb 


Outro factor determinante na hora de fazer contas às ferias é o alojamento. Porque dormir debaixo da ponte é capaz de não dar jeito, é necessário encontrar a melhor oportunidade. Um Hotel minimamente decente é coisa para pesar no orçamento e um Hostel, por muito giro que seja, nem sempre resulta para quem não está disposto a partilhar um quarto com uma mão cheia de desconhecidos. 

E é assim que surge uma plataforma inovadora e que nos permite conhecer os destinos, de forma mais económica, com condições para todos os gostos e tirando partido da visão da gente local. Falo, claro, da Airbnb, onde podes encontrar uma casa ou quarto, conforme o que mais preferires, em tudo o que é lugar do mundo. E o nosso Portugal não é excepção. De Norte a Sul, sem esquecer as Ilhas, é possível alugar um espaço a preços muito simpáticos. 

Se ainda tens dúvidas, vai lá espreitar e confirma o quanto podes poupar em alojamento nestas férias, cá dentro ou lá fora. 

4. Poupa nas refeições sem passar fome


Depois da Deslocação e do Alojamento, o terceiro vértice deste triângulo de despesas passa pela Alimentação. É que mesmo de férias, a pessoa precisa de se alimentar, algo que se pode tornar ainda mais complicado quando não se conhece o destino nem os melhores sítios para matar a fome. 

Contudo, depois de te instalares numa casa Airbnb que, por norma, tem uma cozinha, é muito mais fácil poupar nas refeições. Não estou, de todo, a dizer que deves ficar com a barriga encostada no fogão para preparar o pequeno-almoço, almoço e jantar. Mas podes seleccionar melhor os momentos em que queres conhecer os restaurantes e a gastronomia do local onde estás. Em contrapartida, podes poupar nos cafés da manhã e nas refeições em que apenas precisas de comer alguma coisa. 

5. Procura programas gratuitos


Quanto tens um local inteiramente novo para descobrir, as opções são inúmeras e cada uma melhor que a outra. O que significa que deves fazer bem o teu trabalho de casa e investigar a fundo o que podes fazer, ver e conhecer. Nessa pesquisa não te esqueças de procurar se os locais que queres visitar têm algum desconto associado (como para jovens, estudantes, etc.) ou até um dia específico com entrada gratuita. 

Assim, poderás planear os teus dias de maneira a aproveitar ao máximo o que os lugares têm para oferecer e ainda poupar algum dinheiro nesses programas. Ainda tens dúvidas de que estas férias vão ser as mais económicas da tua vida? Gostaste das dicas de poupança? Achas que me esqueci de alguma?

Nos entretantos, caso queiras ir para fora e conhecer novas culturas, e ainda assim manter o orçamento de boa saúde, fica a saber que a TAP tem 10 novos destinos, com preços que começam nos 35€ e que estarão em vigor a partir de 10 de Junho. Vê alguns dos novos destinos e diz-me, para onde voavas nestas férias?


terça-feira, 30 de maio de 2017

A obsessão com a escolha de um nicho



É chegado o momento de te falar sobre um tema que me tem surgido em tudo o que é canto e que me causa uma certa irritação. Já te mostrei as minhas últimas aquisições literárias e entre elas, como certamente reparaste, encontra-se o livro Ser Blogger

Em breve irei falar mais a fundo sobre este livro, mas não me foi possível continuar a ignorar este apelo que se faz pela escolha de um nicho e pela exploração desse nicho. O livro terá sido a última gota, por ter sido a última referência a que tive acesso onde esta temática é abordada. Contudo, em tudo o que é sítio em que se fale abertamente sobre este universo que é a blogosfera se fala de como é importante fazer uma escolha. 

Infelizmente, em Portugal não se encontra muita informação sobre isto e durante estes anos em que tenho sido autora deste blog tenho sido "obrigada" a beber conhecimento em muitos blogs estrangeiros, nomeadamente, ingleses, americanos e brasileiros. Em todos o conselho mais repetido é de que, para se ter o maior sucesso, é necessário escolher um nicho sobre o qual focar os assuntos do blog. 

Como não sou pessoa desprovida de inteligência, consigo compreender os motivos de quem defende essa forma de estar na blogosfera e esse caminho prático para alcançar uma posição privilegiada neste universo em constante crescimento. No entanto, não sou capaz de aplicar esse conselho tão sensato. Já percebi que o facto de me focar num tema-chave me colocaria numa posição de especialista aos olhos de quem me lê. Já entendi que seria muito mais fácil o contacto com as marcas e a rentabilização do blog. 

A sério que compreendo todas as vantagens. Assim como entendo quem opta por seguir este conselho e se dá bem com ele. Na minha forma de estar na blogosfera, isso não encaixa. Porque quando criei o Não Digas Nada a Ninguém a minha intenção foi voltar à minha grande paixão, a escrita. E através dela partilhar com o mundo tudo o que para mim faz sentido, os meus interesses (que são imensos e variados), as minhas experiências e a minha forma de estar na vida. 

É certo que tenho muita vontade de fazer cada vez melhor, chegar a cada vez mais pessoas e alcançar o dito sucesso com ele. Por isso mesmo é que estou sempre à procura das melhores dicas, seja através dos blogs que falam sobre isto de ter um blog ou do livro que tanta falta fazia em Portugal. Só que não sou capaz de abandonar o conceito de lifestyle que para mim é o que faz sentido. 

Claro que sigo blogs focados nos assuntos que despertam o meu interesse, mas também gosto de ver blogs com uma componente mais pessoal. Onde a pessoa se revela e se dá a conhecer. É nesse tipo de blog que conheço pessoas fantásticas e com quem criei as ligações mais próximas. Isto para dizer que lamento que actualmente seja muito complicado encontrar esse tipo de blog, com essa naturalidade e genuinidade. 

Portanto, se andas a pensar criar o teu blog o melhor conselho, e que também vais encontrar em toda a parte, é fazeres um projecto à tua imagem e semelhança onde falas de algo que te apaixona. Porque essa paixão passa para quem lê e é o melhor cartão de visita e o maior incentivo para que os leitores voltem e sigam com atenção o teu trabalho. 

Conta-me, existe um tema específico que te faça seguir um blog? Ou preferes os mais generalistas?

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Desafio de Cinema (26/52) - Musical



Estava difícil mas enfim chegamos à metade do Desafio de Cinema. E logo com um tema que me aquece o coração. É verdade que as últimas décadas não apostaram muito neste género e que é cada vez mais difícil trazer filmes musicais de elevada qualidade. O que não invalida o valor do mesmo, até o sublima pela dificuldade inerente. 

Um dos sonhos da minha vida é assistir a um espectáculo ao vivo na Broadway, algo que espero concretizar num futuro próximo. No entanto, enquanto esse dia não chega, convido-te a conheceres a minha obra favorita de todos os tempos na sua versão cinematográfica. Refiro-me ao filme "O Fantasma da Ópera"

A música desta peça é do que de melhor já se fez. Tem o condão de nos transportar no tempo e transmite todas as emoções de uma forma que só a música é capaz. E depois a história com a sua aura de mistério, talento e paixões várias. De facto, quando penso neste filme, tenho dificuldade em acreditar que existam pessoas no mundo que sejam capazes de não gostar dele. 

Portanto, preciso que me contes, o que mais gostas neste Musical? O que te faz não gostar? E já agora, qual o teu Musical favorito?

Sinopse
Dirigido pelo aclamado Joel Schumacher e pela mão do compositor Andrew Lloyd Webber chega esta adaptação cinematográfica do musical mais espectacular de todos os tempos.

Por entre as sombras do teatro onde vive a inocente menina do coro, Christine (Emmy Rossum), a voz dele clama por ela, estimulando-lhe o seu extraordinário talento. 

Baseado no romance de 1910 de Gaston Leroux, O Fantasma da Ópera de Andrew Lloyd Webber é a clássica e extremamente emotiva história de um triângulo amoroso entre a bela cantora de ópera Christine (Emmy Rossum), o seu namorado de infância Raoul (Patrick Wilson) e o Fantasma (Gerard Butler), um atormentado e horrivelmente desfigurado génio musical. 


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Alergia ao pisca-pisca



Hoje, irei falar para os automobilistas deste mundo e deste país em particular. Claro que se no teu caso, ainda não fazes parte desse grupo podes continuar a ler. Pode ser que a problemática que hoje te trago venha a revelar-se útil no futuro. E o grande problema que me assola nas estradas nacionais é a alergia que a malta tem à prática de sinalizar as manobras.

Já é do domínio público a minha paixão pela arte de conduzir veículos de quatro rodas, o que não significa que me considere a miss perfeição. Com toda a certeza, também farei manobras incorrectas e devo ter momentos em que vou contra as regras do código da estrada. Tal como os acidentes rodoviários, estas coisas só não acontecem a quem não conduz. 

No entanto, há determinados limites que, quando ultrapassados, só revelam uma total ausência de aptidão para a condução de veículos ou uma tremenda falta de respeito pelos outros, os que partilham a via pública com eles. Muitas são as situações que podem culminar com este raciocínio lógico, contudo no dia de hoje iremos conversar sobre os piscas.

Ou melhor dizendo, sobre os condutores que se esquecem que eles existem nos seus automóveis, aliás são parte integrante dos mesmos e podem ser encontrados em todos as marcas e modelos. Não se trata aqui de um extra, mas de uma parte obrigatória em todos os carros. Como tal, são para ser usados, ok? 

Não quero com isto parecer uma fundamentalista dos piscas. Eu própria não os uso de todas as vezes em que faço uma manobra a que a isso obrigue. Especialmente quando vou sozinha na estrada, sem sinal de outros carros nas redondezas. Agora, parece-me de facto inusitado que, quando se vai numa estrada movimentada, com carros atrás, a malta ignore esse procedimento básico e que ajuda a que a sua traseira (do carro, claro) permaneça intacta. 

Portanto, amigo condutor, gostaria de te pedir que tenhas atenção na hora de efectuar manobras, sejam virar à direita ou à esquerda, encostar na berma ou parar algures e avises os demais condutores do que vais fazer. É só para evitar travagens bruscas e que te chamem muitos nomes feios e, em última instância, evita também acidentes. Pode ser ou estarei eu a pedir demais?

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Livros para oferecer no Dia da Criança



Como esta ano de 2017 parece ter asas nos pés, na próxima semana já vamos entrar no mês de Junho. Será o mês do início oficial do Verão, da época balnear, dos Santos Populares e começa com o fofinho Dia Mundial da Criança. Data comemorada por todos, afinal não andamos todos a dizer ao mundo que temos uma criança dentro de nós?

Além disso, todos os filhos são sempre crianças aos olhos dos pais e é isso mesmo que faço questão de relembrar aos meus por esta altura. Só para que não pensem que lá porque a pessoa já passou dos trinta não tem direito a receber o seu presente do Dia da Criança. Acusa-te, também fazes parte deste movimento? 

No entanto, hoje quero mesmo falar de crianças, no total sentido da palavra. Aqueles seres que ainda estão a crescer e a formar o que serão um dia e que espero que se concretize em adultos felizes, realizados e com os valores e princípios necessários para serem boas pessoas. E nesse percurso, nada como incutir bons hábitos e permitir que vivam imensas aventuras, outras vidas, viajem sem sair do lugar e conquistem amigos para toda a vida.

Atenção, que não sou a pessoa que oferece roupa, que faz sempre falta, às crianças. Tenho uma excelente memória, portanto recordo-me que detestava receber esse tipo de presente. Contudo, quer-me parecer que actualmente os miúdos são inundados de brinquedos, aos quais não dão grande valor. Até porque não esperam por eles o tempo suficiente para o desejo crescer e a excitação de o receber ser significativa.

E é por isso mesmo que, neste Dia da Criança, acredito que o presente prefeito pode muito bem ser um livro. Depois de ter estourado o orçamento com as novas aquisições literárias, esta foi a desculpa perfeita que encontrei para ir procurar mais livros, sem correr grandes riscos financeiros. Até porque ainda não tenho crianças em idade de aproveitar estas ideias e já tive oportunidade de ler grande parte destas sugestões. Tudo a postos para surpreender as vossas crianças?



Agora que tanto se falou sobre o novo filme, parece-me o momento perfeito para que os mais novos conheçam o livro que deu origem a este conto de fadas, não concordas?



É certo e sabido que recomendo Harry Potter a toda e qualquer pessoa que ainda não se tenha rendido a este universo mágico. Mas nada igualará o sentimento de se começar a ler na infância e acompanhar o crescimento dos personagens ao mesmo tempo que se cresce também. Quem sabe a criança não se apaixona pela poder da magia até culminar com o derradeiro livro?



Este é um livro para crianças que pode ser de grande utilidade para os paizinhos. Afinal, a imaginação não deverá ser assim muito fértil na hora de deitar a criançada, especialmente depois de todo um dia de trabalho e tarefas várias. Cumpre a função de incutir o gosto pelos livros aos mais pequenos e ainda facilita a vida dos pais. Queres coisa melhor?



E agora um clássico da literatura juvenil. Simples, acessível e repleto de mensagens fundamentais. Não sei se ainda se mantém, mas no meu tempo era leitura obrigatória na escola o que significa que poderá ser também um investimento a longo prazo. Os adultos que passaram ao lado desta história, podem aproveitar esta "desculpa" para recuperar o tempo perdido. 



O que eu gostava destes livros, minha gente! Se estas senhoras ainda não perderam o jeito entretanto, tenho a certeza de que qualquer jovem se vai prender a estas aventuras fantásticas, onde nos divertíamos e ainda se aprendia uma coisas.

Agora que já recebeste alguma inspiração, o que vais oferecer às tuas crianças no dia 1 de Junho?

terça-feira, 23 de maio de 2017

Globos de Ouro 2017 - De Bestial a Besta



Pela primeira vez na história deste blog (ou assim quer-me parecer), iremos debruçar-nos sobre a passadeira vermelha de um evento nacional. Falo, claro dos Globos de Ouro que decorreu no passado Domingo. Não tive oportunidade de assistir em directo, mas deparei-me com algumas modelitos nas redes sociais e não resisti a dizer de minha justiça. 

Depois da desgraça dos outros Globos de Ouro e do que de melhor e pior apareceu nos Óscares, concluí-se que não ficamos nada atrás do que se passa além fronteiras. A falta de vestidos inesquecíveis é geral e a capacidade de fazer escolhas do arco da velha é comum a todos, portugueses e estrangeiros. 

Posto isto, iremos dividir o que me saltou à vista entre os Bestiais e as "Bestas". Ou seja, as que se safaram na hora de desfilar a beleza na maior passadeira vermelha nacional e as que se espalharam ao comprido e que melhor faziam em ter assistido em casa, de pijama. Vamos a eles?

De bestial...


Dada a escassa oferta de vestidos bestiais, este ganha o primeiro lugar no meu coração. Claro que também ajuda ter o corpinho da moça, mas não invalida que seja uma boa escolha.


Não sou a maior fã de vestidos brancos, especialmente nestes eventos, mas tenho de admitir que ficou perfeito na Clara de Sousa. Elegante e requintado, ainda mais se olhar à esmagadora maioria do que por lá passou. 


Mais uma senhora a dar uma lição às meninas mais novas. Mais uma vez, não era coisa que usasse eu própria, mas ficou um charme na Maria João Luís. 


A querida Raquel Strada nunca erra. Pelo menos, não tenho memória de a ter visto mal. Podia ter feito melhor, é verdade, mas ainda assim está no Top da noite. 


E parece que os "Bestiais" são todos dados ao preto e branco. As sandálias não me convencem, embora fizessem sucesso em qualquer Escola de Samba brasileira, mas o vestido tem qualquer coisa que agrada. 

... a Besta


A doce Ana Marques quis seguir a máxima "com um vestido preto nunca me comprometo", mas a coisa não correu como era suposto. Não é carne nem peixe, que é como quem diz, nem comprido nem curto. Desejo mais sorte para o ano que vem, sim?


A Bárbara além de perder a apresentação da Gala, decidiu substituir a bola de espelhos, peça essencial em toda e qualquer discoteca que se preze. Já para não falar naquela pochete, coisa estranha ou é da minha vista?


Esta rapariga irrita-me profundamente. É daquelas que tinha tudo para ser a mulher da noite em tudo o que é evento, porque é dona de uma beleza que não deixa qualquer margem para dúvidas. E depois aparece-me nesta figura! 


Aborrecido. Muito aborrecido...


Sofia, querida, já sabemos que um trench-coat é um básico em qualquer armário de sucesso, mas não era preciso levares o teu para os Globos de Ouro, ok?


Eu sou a pessoa que gosta de irreverência e gente que não tem medo de arriscar e simpatizo bastante com o nosso talentoso Darko. Posto isto, qual foi a ideia, meu amor?

E aqui temos as escolhas do que de melhor e pior se viu na passadeira vermelha dos nossos Globos de Ouro 2017. Agora conta-me, qual o melhor da noite? E já agora, qual o pior?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...