Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A minha fé ou falta dela



Os assuntos da fé e da religião são sempre espinhosos e alimentam as maiores polémicas do universo. Contudo, como não sou mulher de fugir de discussões e tenho opiniões a dar sobre tudo e mais um par de botas, apeteceu-me aqui explicar a minha posição no que toca a estes assuntos cabeludos. 

Na verdade, não fui bafejada com o poder de acreditar, sem precisar de razões ou provas factuais. Como tal, não sou capaz de acreditar na existência de Deus, menos ainda na imagem que a Igreja Católica nos incute desse Deus. E refiro-me à Católica por ter crescido em contacto com essa religião em particular. 

Contudo, isso não impede que me sinta fascinada por todos os mistérios que giram em torno das religiões e das suas figuras míticas. Exemplo disso são as minhas leituras, como é o caso de Vaticanum e muitos outros que terão a sua opinião publicada no blog muito em breve. É a curiosidade por entender um fenómeno que não vivo nem sinto na pele. 

Respeito imenso quem tem em si a verdadeira Fé, mas não consigo deixar de acreditar que Deus é uma criação do Homem, na tentativa de dar um sentido a esta vida e à inevitabilidade da morte, e não o contrário. Já para não falar da Igreja Católica, poço sem fundo de incongruências e princípios sem qualquer fundamento. 

Claro que nutro uma especial simpatia pelo actual Papa e pela forma como vai ao encontro das pessoas com uma verdadeira missão de amor ao próximo. Ele revela-se aos nossos olhos como deveriam todos as pessoas religiosas deste mundo, em particular os padres e afins. Talvez se a Igreja entender o poder da aceitação, em vez do julgamento fácil, seja capaz de chegar aos que se têm afastado ao longo dos anos. 

Por outro lado, neste tópico volto a mostrar o quanto sou estranha e pouco coerente. Afinal, posso não acreditar na existência de Deus como entidade criadora de tudo, mas acredito profundamente que aqueles que amamos e nos amaram nunca nos abandonam. É algo que não consigo explicar de forma racional, como quase todos os assuntos relacionados com o oculto. 

No entanto, sinto a presença da protecção constante do meu avô a pairar sobre mim e a conjugar energias para que o auxílio chegue no momento que mais preciso. É uma espécie de sorte que me protege das mais variadas situações, pois no momento em que a coisa se poderia tornar grave, tudo se reorganiza de forma a que não passe de mais um episódio com final feliz. 

É por isso que acredito que a minha estrelinha da "sorte", que me protege onde quer que esteja, da mesma forma que me protegeu enquanto viveu, só pode ser o meu adorado avô. Faz algum sentido para ti as minhas incoerências? És pessoa de fé? Alguém desse lado sente essa protecção misteriosa? 

terça-feira, 15 de agosto de 2017

#Livros - Hilda Furacão, de Roberto Drummond



Sinopse
No dia do seu casamento, uma jovem da alta sociedade de Minas Gerais, estado conservador e católico do Brasil, deixou o noivo pregado na Igreja e abandonou tudo para se tornar prostituta na Zona Boémia de Belo Horizonte.

Nesses anos 60, numa Belo Horizonte a cheirar a jasmim e às granadas de gás lacrimogéneo que a polícia lançava contra os estudantes, surge então Hilda Furacão, a musa erótica que inflama a imaginação da cidade e cuja vida se irá cruzar com os sonhos de três rapazes vindos do interior: um quer ser santo, o outro actor de Hollywood e o terceiro escritor, o repórter que será encarregado de descobrir o segredo de Hilda Furacão. 

Um segredo que Hilda lhe promete revelar no dia 1 de Abril de 1964, precisamente cinco anos depois de iniciar a vida de prostituta. 

Hilda Furacão existiu (existe) mesmo?

Mistério, romance, humor, ironia e sátira, suspense permanente. Prostitutas, beatas, comunistas, polícias, jornalistas, generais, políticos, malandros, boémios, milionários, uma galeria de personagens inesquecível. Uma obra que agarra e enche completamente o leitor. Um talento narrativo e uma qualidade literárias singulares num romance verdadeiramente popular.

Hilda Furacão acaba de ser considerado um dos 100 melhores livros de sempre da Literatura de Língua Portuguesa. 

Opinião
Começo por dizer que, apesar de não se encontrar no Top 10 de livros para ler nas férias, seria uma excelente escolha e te iria proporcionar momentos fantásticos para onde quer que vás. Não é um livro grande, nem pesado para levar na mala, mas faz-nos viajar para a cidade de Belo Horizonte nos idos anos 60, com as suas descrições incríveis dos locais e do ambiente político e social que se vivia à época. 

Depois, tem um leque de personagens apaixonantes que nos prende à trama, seja a que se passa na pacata Santana dos Ferros, seja na cosmopolita Belo Horizonte. Os nossos três mosqueteiros são, de facto, um trio do mais diferente de que há memória, mas que estão unidos pela amizade de infância, um dos elos mais fortes que existem, quando amizades verdadeiras. 

E, claro, a mítica Hilda Furacão, que se tornou numa lenda, tão misteriosa que já ninguém sabe se existiu de facto ou se foi uma invenção da imaginação dos homens. O que é certo é que colocou a Cidade das Camélias no epicentro de toda a trama e para lá levou o glamour e a dúvida que povoa na cabeça de todos: porque uma menina da alta sociedade decidiu tornar-se prostituta? 

Algumas respostas serão dadas ao longo da história, muito embora, a verdade só a própria saberá. A sua paixão pelo Santo é deliciosa e coloca-nos a torcer para que, nesta batalha em particular, a prostituta vença Deus. 

Não conhecia de modo algum esta história ou este autor, mas fiquei decidia a ler este livro depois de assistir à mini-série da Globo com o mesmo nome, que tanto sucesso fez no Brasil e em Portugal. Quem não se recorda de ver as filas no Maravilhoso Hotel para os seus dois minutos com a misteriosa Hilda Furacão? 

Na verdade, a única personagem de que senti falta no livro foi o rabugento Padre Nelson. Ele é referido, sim, mas como parte do passado, não como parte integrante e influenciadora da luta do Santo contra o pecado. Já na mini-série, ele era o grande conselheiro de Malthus e protagonizou algumas das cenas mais divertidas de que tenho memória. 

Portanto, feito o balanço entre as duas histórias, a lida e a vista, fiquei muito contente por ter, finalmente, tido a oportunidade de ler este livro e ficar a conhecer a forma como o autor decidiu contar ao mundo a lenda de Hilda Furacão. 


"Ela veio andando na direcção dele como uma festa; no que andava - e isso era natural nela, nunca teve aulas - trazia toda a alegria do mundo; era clara, tinha a Itália materna na pele e a Alemanha paterna nos olhos cor de fumaça e um certo quê louro nos cabelos lindamente presos; e a arrogância, esse não abaixar a cabeça, esse não desviar os olhos, donde é que vinha? O vestido era um tomara-que-caia preto, que assumia a forma surpreendentemente jovem de seu corpo, uma lembrança das missas dançantes do Minas Ténis Clube; e o Santo - que desviou o crucifixo no rumo dela - teve medo de pensar (oh, louco coração!) que ela não usava soutien e que seus seios recordavam duas maçãs argentinas e eram inquietos como os pássaros-do-paraíso."

Podes encomendar o teu exemplar aqui, com 10% de desconto em cartão. 


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Desafio de Cinema (35/52) - Romântico



Nada como começar a semana a falar de Cinema, não é mesmo? Pois que é isso que vai acontecer, como vem sendo hábito com este Desafio de Cinema que vai já na trigésima quinta semana. E logo com um tema daqueles difíceis. Não por não me lembrar de nenhum filme, mas precisamente porque, só de pensar na palavra "Romântico", me vem à lembrança, pelo menos, uns duzentos. 

Sem esquecer que muitos dos filmes que aqui referi poderiam se encaixar perfeitamente nesta categoria. No entanto, este Desafio não é feito para repetições, mas para encontrar sugestões diferentes a cada semana. Por isso, decidi eleger para filme Romântico o lendário Cidade dos Anjos

Quem não se recorda do anjo que se apaixona por uma mulher e, por ela e por esse grande amor, é capaz de tudo? Sem esquecer a grande lição que nos dá no que diz respeito aos finais felizes. Mais importante do que o final em si, o essencial é viver o Amor de forma plena, pois só assim tudo terá valido a pena, sem ser relevante como acaba. 

Uma história para ver e rever, vezes sem conta. Lembraste deste filme? Qual o teu filme romântico favorito?


Sinopse
Seth, um anjo recém-chegado à Terra, preocupa-se exageradamente com as questões humanas e acaba por entrar numa relação amorosa com uma cirurgiã especializada em doenças cardíacas. Entre ambos surge uma paixão impossível, entre um ser eterno e um de carne e osso, o que leva a que ambos desafiem as leis que definem a existência.


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os próximos temas. 

sábado, 12 de agosto de 2017

#Livros - Vaticanum, de José Rodrigues dos Santos



Sinopse
Um comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na Internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante: O PAPA SERÁ DECAPITADO EM DIRECTO À MEIA-NOITE. O relógio começa a contar. O rapto do papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem à rua, os atentados sucedem-se, multiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra. 

Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do Papa e cruza-se com um nome enigmático: OMISSIS. A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Fé.

Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor preferido dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com Vaticanum, José Rodrigues dos Santos mostra mais uma vez por que razão é considerado mestre do mistério real.

Opinião
Quer-me parecer que já não existe necessidade de referir o quanto gosto deste autor. É uma coisa que, a cada novo livro, me deixa mais rendida. A forma como escreve e a quantidade de informação que debita sem que, em momento algum, se roce o aborrecimento ou o tédio, é algo que me deixa siderada e ansiosa pelo lançamento de cada novo livro. 

Depois temos este personagem icónico, Tomás Noronha, que é o herói que todos gostaríamos de ser nos nossos sonhos. Inteligente, culto, corajoso, capaz de raciocínio rápido e uma capacidade de improvisação acima da média. Quem não? Aliás, acredito que este personagem e estas histórias que tenho lido dariam excelentes filmes ou uma série brutal. 

Quanto à história deste livro em particular, foca-se num tema que sempre movimenta muita discussão. Afinal, a Religião, nomeadamente a Católica, é algo que apaixona milhões de pessoas. Na verdade, para o bem e para o mal, não sou uma pessoa de fé. No entanto, tenho consciência de que a Fé é uma coisa pessoal e intransmissível, enquanto que a Igreja será uma instituição gerida por homens e, como tal, sujeita às suas imperfeições, falhas de carácter e pecados. 

No fundo, José Rodrigues dos Santos aproveita o pretexto do rapto do Papa Francisco para nos revelar, numa linguagem simples e acessível a todos, os grandes escândalos financeiros do Vaticano. O quanto os cardeais procuram o benefício próprio e almejam por mais e mais poder. A lavagem de dinheiro. As fontes de receita pouco recomendáveis. O escândalo do Banco Ambrosiano. O possível assassinato de um Papa. A missão pessoal de João Paulo II. 

Sem esquecer as profecias, onde encontramos enormes referências a Fátima, O lado místico será sempre interessante de ser explorado e alimenta o mistério em torno do rapto do Papa e de quem serão os verdadeiros responsáveis. Será um ataque religioso? Ou um ataque interno? 

Pela parte que me toca, desconhecia em pormenor as verdadeiras implicações da corrupção da cúria romana e fiquei, não direi surpreendida, mas esclarecida quanto ao que por lá acontece e, de certa forma, chocada com a permissividade de todos. 

Este era um livro que estava na minha wishlist e que não desiludiu em nada, ainda que as expectativas estivessem muito altas, como vem sendo hábito com este autor. Aliás, é um livro que recomendo a toda e qualquer pessoa, religiosa ou não, católica ou não, que tenha interesse em conhecer o que se passa à sua volta. 

"Isto não pode continuar! Os fiéis não nos confiam o seu dinheiro para alimentarmos vícios de corte, como agora acontece na cúria, mas para ajudar os necessitados! Os cardeais terão de perceber que o mundo não gira à volta deles e há toda uma realidade para lá das paredes do Vaticano! Nós existimos para servir os outros, não são os outros que existem para nos servir! O nosso rebanho precisa de pastores dispostos ao sacrifício, não de burocratas mimados. A Santa Sé está cheia de narcisistas rodeados de aduladores e o espírito de corte aqui existente transformou-se num cancro. A cúria vive centrada em si mesma e limita-se a defender os seus interesses temporais. O dinheiro contaminou o pensamento e a fé, corrompe a nossa alma e leva-nos a tratar a religião como mera fonte de rendimentos."

Vê mais opiniões de livros do autor como: 


Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis. 

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Passatempo - Oriflame by Orineves



Agora que a Alexandra já reclamou o seu prémio, nada como acabar a semana com mais um passatempo em grande, com a colaboração do meu parceiro de sucesso, que só nos proporciona coisas boas, a mim e a ti, claro. 

Os mais atentos já sabiam que iria lançar muito em breve mais um passatempo, até porque mencionei esse pormenor (importante!) quando te falei sobre os últimos produtos que recebi, não é verdade? Talvez não contasses que fosse assim, logo de seguida, mas parece-me o momento certo visto que o Catálogo 12 começou ontem. 

Posto isto, o prémio que podes ganhar é: 



Para te habilitares a estes prémios só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 27 de Agosto.
Boa sorte a todos!!! 

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Vencedora Passatempo Oriflame by Orineves



Pronto, mais um passatempo chega ao fim. Não fiques triste, porque isto é sinónimo de que já temos um vencedor e que podes muito bem ser tu, que participaste e fizeste figas com muita força. Além disso, outros virão, porque nada me faz tão feliz como te proporcionar prémios especiais. 

Antes de anunciar a vencedora, quero agradecer ao meu querido parceiro de sucesso, Joaquim Neves, bem como a todos os participantes. Gostaria de poder dar um presente a cada um, mas infelizmente só podemos ter um vencedor desta vez. 

Posto isto, a vencedora do último passatempo é: 

Alexandra Guimarães, de Cascais

Muitos parabéns, Alexandra! Irás receber um e-mail entre hoje e amanhã, ao qual terás de responder nas 48 horas seguintes, de forma a reclamares o teu prémio e forneceres os teus dados de envio. 

Para que não fiques desiludido, tu que não ganhaste, fica sabendo que ainda esta semana teremos um novo passatempo no âmbito desta parceria que promete fazer as delícias de todos! Enquanto esperas, podes ir aqui espreitar as coisas boas que recebi com o catálogo que terá início no dia 10 de Agosto. 

Vou contar contigo para o próximo passatempo??

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Desafio de Cinema (34/52) - Sobre Comida



E cá estamos de volta para mais um filme do Desafio de Cinema. Aliás, as Segundas-feiras já não são a mesma coisa sem esta desafio, certo? E olha que o tema desta semana é bem gostoso! Afinal, quando se fala em comida, só se pensa em coisas boas. E saborosas. 

Então, com esta premissa, que outro filme poderia eu escolher, senão o fantástico Chocolate? Um filme mágico, com uma história doce e misteriosa, com actores de excelência (quem não se lembra do gato do Johnny Deep??) e que nos remete para um misticismo incrível. 

Sem esquecer, o pormenor importante de que é mais um livro baseado num livro o que, regra geral, se traduz em bons enredos e histórias interessantes. Já conhecias este filme? Ou o livro?


Sinopse
Pouco tempo depois de chegar, Vianne abre uma invulgar Chocolateria repleta de tentadoras confecções. O mágico dom para adivinhar os desejos mais secretos dos seus clientes e satisfazê-los com os seus divinos preparos, leva os aldeões a entregarem-se à tentação e aos seus prazeres, no entanto, é só quando um outro forasteiro, Roux (Johnny Deep), também ele atraente e sedutor, chega à aldeia, que Vianne reconhece os seus próprios desejos. Mas nem toda a gente se encontra deslumbrada com Vianne. Reynaud, um nobre residente que assumiu a direcção moral da aldeia, vê em Vianne uma ameaça à sua ordem e conjunto de princípios e, numa tentativa de bani-la da aldeia, proíbe a todos a entrada na sua loja, desencadeando um confronto nunca visto entre aqueles que preferem o passado e os que não querem perder o seu recentemente descoberto prazer. 


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

domingo, 6 de agosto de 2017

#Parceria - Recebidos Oriflame by Orineves 12-2017



Quem me segue no Facebook (se ainda não és seguidor, faz favor de deixar o teu like aqui), já sabe que passei o fim de semana passado em Lisboa para assistir ao concerto de Ivete Sangalo. Como não poderia deixar de ser, foi um fim de semana em grande, que se traduziu na chegada a casa no Domingo a más horas e a ter de trabalhar na Segunda-feira de manhã. 

Portanto, foi com grande espanto e alegria que cheguei a casa, cansada do trabalho e do andamento do passeio, que recebi mais uma fantástica encomenda da minha parceria de sucesso com a Equipa Orineves. Queres ver o que chegou a minha casa?


No total, recebi quatro produtos, muito embora só vá falar de três neste post. Isto porque, como já vem sendo hábito, o quarto produto poderá ser teu quando lançar o próximo passatempo (não te esqueças, termina hoje o último passatempo, fruto desta parceria, mas ainda vais a tempo). 

Passando aos recebidos propriamente ditos, o primeiro foi um Gel de Duche Discover Icelandic Purity, que na primeira impressão olfactiva me deixou muito satisfeita. Os dois últimos são produtos de maquilhagem, coisa que anima toda e qualquer mulher e, como tal, eu não sou excepção. 

Falo-te da Sombra de Olhos COLOURBOX, no tom Pearly Pink, uma cor versátil e que certamente me fará companhia em muitas saídas. Recebi também um Verniz COLOURBOX, no tom Bright Nude, que fez as minhas delícias mal os meus olhos bateram nele. Gostei particularmente de ficar a saber que os vernizes da Oriflame não contêm tolueno, formaldeído e cânfora. 

Por hoje, é o que tenho para te mostrar, sem esquecer que muito em breve terei novas reviews para partilhar sobre alguns dos imensos produtos que tenho recebido, bem como o prometido passatempo que sairá mais cedo do que pensas! 

Gostaste dos produtos que recebi? Qual o teu favorito?

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Na morte e na doença somos todos melhores pessoas



Faz tanto tempo que não venho cá partilhar as coisas que me irritam e me tiram do sério. A última vez foi em Maio, quando te contei de um problema que aflige quase, senão todos, os automobilistas, os alérgicos ao pisca que poluem as nossas estradas e confundem a malta até ao limite e mais além. 

Hoje, o assunto sobre o qual quero aliviar a alma está relacionado com a forma como alteramos a nossa opinião e o que sentimos por pessoas, basta para isso que estas tenham uma doença, considerada terminal, ou tenham o azar de falecer. 

Atenção, que sou pessoa para defender que quem não muda de opinião são os burros e que devemos estar abertos à mudança e a que nos provem o quanto estamos errados. Contudo, não é disso que falo neste momento. Refiro-me a alterações inesperadas sem que exista qualquer mudança de comportamento ou de atitude ou sequer uma mera aproximação que permitisse conhecer melhor a pessoa em questão. 

A única novidade é o estado de saúde da pessoa, que antes era intragável ou uma megera ou que tinha como passatempo preferido estragar a vida a quem lhe aparecesse. De repente, basta uma notícia de um cancro (ou qualquer outra doença assustadora) para tudo ser esquecido e começar-se a lamentar a sorte dessa pessoa, a rezar por ela e a encontrar-lhe qualidades inimagináveis. 

E quando se morre? Ai senhor, não existia melhor pessoa no mundo. Coitadinho, que deixou cá tantos que sentem a sua falta e que choram a sua partida. O bem que fez à família e aos amigos. E a desconhecidos também, que já que é para inventar tudo serve. Todas as maldades são esquecidas, todos os defeitos ignorados e, no final, só os feitos heróicos são enunciados, como para se convencer o mundo da perda que sofreu com esta morte. 

Na verdade, acho que se querem convencer a si próprios e dar um ar aos demais de que são magnânimos e que não se fala mal dos mortos. Com isto, não defendo que a malta deva fazer uma festa por existir menos uma má pessoa no mundo. Já conheci demasiadas, algumas que já se foram, e nunca me alegrei com as suas mortes. Só que não sofro de Alzheimer e por isso não esqueço os seus defeitos e más acções. 

Não consigo ser cínica nem hipócrita e, portanto, não lamento ou finjo lamentar a morte de pessoas sobre as quais não tenho nada de bom para acrescentar. Posso não as atacar publicamente, até porque respeito a dor dos que perderam alguém querido, mas não altero a minha opinião só porque estão muito doentes ou bateram a bota. 

E tu, sabes do que falo? O que pensas a respeito deste assunto?

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

#Livro - O Peso de um Segredo, de Isabelle Fochier



Sinopse
Duas vidas, destinadas a se encontrarem. Dois destinos, decididos a separarem. Laura Thompson sente-se prisioneira de uma noite que lhe modificou para sempre o percurso de vida. Numa noite, Christopher Russel vê o percurso da sua vida escapar-lhe perante as circunstâncias e seguir outro rumo, longe daquela que ele escolhera para amar a perder no tempo. Dez anos de sofrimento, de segredos e de erros, irão separar duas pessoas que por medo de enfrentar o destino, se refugiam cada um no seu mundo, edificando muros ao seu redor e comprometendo a felicidade.

Mas no coração de alguns a perseverança persiste, o reencontro está iminente, longe de supor que ele os vai mergulhar numa espiral de desentendimentos e dor. 
Como agir perante um erro colossal que põe em perigo sentimentos verdadeiros?
Onde encontrar força e sabedoria para afastar o rancor do amor?

Opinião
Este livro chegou à minha caixa de correio, de forma inesperada, no âmbito da minha parceria com a Chiado Editora. Existe lá coisa melhor do que receber livros quando menos esperamos? A mim, assim de repente, não me ocorre nada de mais interessante para encontrar no regresso a casa.

Este é o segundo livro da autora, mas foi a minha estreia no que toca a Isabelle Fochier. O que até foi uma escolha certeira, uma vez que o primeiro livro passa-se anos depois deste de que hoje te irei falar. Como já conheces a minha curiosidade mórbida, já podes imaginar qual será o próximo livro, fruto desta parceria, certo?

Passando ao que interessa, ou seja, O Peso de um Segredo, a história relata-nos um amor de adolescentes, um amor de Verão, como tantos outros, mas que teve o poder de alterar inexoravelmente as vidas de um e de outro. É assim que nos é apresentada a história e é assim que a pessoa fica colada até à última página.

Para quem, como eu, já leu tudo o que é romance sem descanso, o factor surpresa não existiu. No entanto, não foi, de forma alguma, impeditivo de prosseguir com a leitura de forma compulsiva nem, tão pouco, diminuiu o meu interesse pelo rumo das personagens.

Gostei particularmente do protagonista masculino, Christopher Russel. Muito misterioso e com várias camadas, todas elas interessantes. A autora consegue colocar-nos do seu lado na maioria do tempo. Já a menina Laura, protagonista feminina, não me aqueceu tanto o coração. Mais pela forma como lidou com os constantes ataques, vindos de todo o lado, do que propriamente pelos erros do passado. Não me consigo identificar com uma mulher que arca com todas as culpas de forma indefinida, sem colocar um travão ou responder à altura.

No final, o parecer é muito positivo e fiquei com muita curiosidade para ler O Sentido das Palavras, que nos conta o que aconteceu anos depois com as personagens que aqui conheci.

"Um filho é uma bênção, uma dádiva. Se um filho for considerado como um presente, é no presente que se encontra a vida. Merda, eu preciso de coragem para encontrar o presente, voltar a vivê-lo, esquecer o passado e pensar no futuro. O passado não me trará nada de novo. Tudo o que quis saber sobre ele, está dito. Sei o que aconteceu e cada porquê. Preciso de me concentrar no futuro e agora, no presente, inspirar-me para o viver! Eu tenho que conseguir pôr para trás das costas a amargura, o rancor que sinto contra a Laura, pois ela deu-me o melhor que uma mulher pode dar a um homem."

Podes encomendar o teu exemplar aqui, com 10% de desconto imediato e portes grátis. 

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Desafio de Cinema (33/52) - Latino-Americano



Eu sei que o blog anda de um modo que eu nem tenho palavras para qualificar. Podia ser modo de cruzeiro ou meio-gás. Ou com um pé nas férias. Enfim, um cenário que tenho tentado (de verdade!) contrariar e que espero conseguir melhorar no decorrer das próximas semanas. Não prometo, mas comprometo-me a colocar todos os meus esforços nesse objectivo. 

Para hoje, teremos mais um filme para o Desafio de Cinema, que tanto tem contribuído para me mostrar ou relembrar a quantidade de bons filmes que existe neste mundo. O tema será um filme Latino-Americano. Coisa difícil, aviso já. Isto porque conheço muito pouco do que se passa nas salas de cinema da América do Sul. Portanto, irei remeter-me para a realidade que conheço um pouco melhor, a brasileira. 

É desta forma que chegamos ao filme desta semana, Tropa de Elite. Um filme que fez um sucesso imenso em Portugal e que nos acordou para a realidade de que no Brasil se faz mais coisas para além das novelas. Um filme que fala de violência, corrupção e de tudo o que só existia na nossa imaginação. E como, mais uma vez, a realidade supera essa mesma imaginação. 

Conhecias este filme? Que outros filmes Latino-Americanos me sugeres?

Sinopse
Rio de Janeiro, 1977. Nascimento, capitão da Tropa de Elite do Rio de Janeiro, é designado para chefiar uma das equipas que tem como missão "apaziguar" o Morro do Turano por um motivo que este considera insensato. Mas Nascimento tem que cumprir as ordens enquanto procura um substituto. 

A sua mulher, Rosane, está no final da gravidez e todos os dias lhe pede para sair da linha de frente do batalhão. Pressionado, o capitão sente os efeitos do stress e é neste clima que é chamado para mais uma emergência no Morro. No meio de um tiroteio numa festa de funk, Nascimento e a sua equipa têm de resgatar dois aspirantes a oficiais da PM: Neto e Macias. Ansiosos por entrar em acção e impressionados  com a eficiência dos seus salvadores, os dois candidatam-se ao curso da formação da Tropa de Elite.

Um dos maiores sucessos de bilheteira do Brasil, Tropa de Elite foi consagrado no Festival de Cinema de Berlim com o Urso de Ouro para Melhor Filme. 


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os próximos temas.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Desafio de Cinema (32/52) - Tema Histórico



Eu sei, eu sei, não é Segunda-feira e era suposto que o Desafio de Cinema estivesse associado ao primeiro dia da semana. Contudo, mais vale tarde do que nunca. Ou seja, mais vale lançar o filme desta semana de imediato do que atrasar (ainda mais) o calendário editorial deste estaminé. 

Assim chegamos ao Cinema que vai buscar inspiração na História. Algo bastante comum, dado que, regra geral, a realidade ultrapassa qualquer ficção. Mas que momento da História escolher? Temos períodos muito interessantes e para todos os gostos, no entanto, elegi uma época da História Mundial mais recente. Não fosse o século XX tão rico em acontecimentos e onde se sucederam as duas Grandes Guerras. 

Vamos ficar pela II Guerra Mundial, mais concretamente com o ataque japonês que culminou com a entrada dos Estados Unidos da América na guerra que arrasava a Europa e que foi determinante para a vitória dos Aliados. Falo-te do filme Pearl Harbor que nos vem apresentar, às grandes massas, uma parte importante dos acontecimentos e deixar algumas lições de vida. 

Já conhecias este filme? Também és fã de Pearl Harbor?


Sinopse
Pearl Harbor é mais um inesquecível êxito de bilheteira com espectaculares efeitos visuais que nos chega do produtor Jerry Bruckeimer e do realizador Michael Bay, a famosa equipa que nos trouxe Armageddon.

Com um elenco de luxo no qual se destacam Ben Affleck, Josh Hartnett e Kate Beckinsale, este épico retracta aquele que foi considerado um dos mais devastadores actos de guerra.
À medida que as vidas e os amores de uma geração são tragicamente destruídas por um dos maiores conflitos que o mundo moderno alguma vez conheceu - a II Guerra Mundial - os acontecimentos em Pearl Harbor tornaram-se num teste supremo à força do espírito humano.

Contando ainda com as participações de Cuba Gooding Jr., Alec Baldwin, Jon Voight e Tom Sizemore, esta arrebatadora história de amor e heroísmo é um filme a não perder. 


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

terça-feira, 25 de julho de 2017

Passatempo - Oriflame by Orineves



Bem, como certamente já reparaste, isto não tem andado nada fácil. Gostaria de dizer que esta ausência prolongada é fruto da minha agitada vida social mas, para mal dos meus pecados, não é apenas isso. A Internet tem me dado cabo da cabeça e desde Sexta-feira tem sido impossível abrir até a página inicial do Google. 

Não tenho a certeza de que o problema esteja resolvido, mas como quero acreditar que sim e que este será o início de uma feliz e prolongada relação de paz e fraternidade, aqui estou eu para lançar o prometido passatempo. Ainda te lembras?

Pois que os prémios que podes ganhar são:



2. Máscara Esfoliante Swedish Spa


Para te habilitares a estes prémios só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 6 de Agosto. 
Foi simples, certo? Agora que já estás a participar no passatempo e habilitado a ganhar estes fantásticos prémios, aproveita para espreitar o Catálogo 11, repleto de preços de saldos de perder a cabeça. 

Boa sorte a todos!!! 

terça-feira, 18 de julho de 2017

Top 10 - Livros para ler nas férias



Já não é nenhuma novidade a minha grande paixão pela literatura e do quanto me perco por livros novos, velhos ou usados. Aliás, a minha querida mãe já começa a ficar seriamente preocupada com a velocidade a que os livros chegam cá a casa e com a problemática gerada pela falta de espaço para os arrumar. Nada que não se resolva quando a isso for obrigada, e nada que me impeça de continuar a aumentar o número de livros que tenho e quero ter. 

Nas férias, como tinha de ser, aproveitei para ler o mais que pude e a minha viagem a Lisboa foi a oportunidade perfeita para trazer comigo mais uns quantos de casa do paizinho. Portanto, como acredito que também vais aproveitar as férias para ler, decidi eleger um Top 10 para te inspirar na escolha dos livros que irás ler durante esta época de dolce fare niente



Dom Casmurro conta a história de Bento Santiago (Bentinho), apelidado de Dom Casmurro por ser calado e introvertido. Em adolescente apaixona-se por Capitu, abandonando o seminário e, com ele, os desígnios traçados por sua mãe, Dona Glória, para que se tornasse padre. Casam-se e tudo corre bem até o amor se tornar ciúme e desconfiança. A dúvida da traição de Capitu percorre toda a obra, agravada pela extraordinária semelhança do filho de ambos, Ezequiel, com Escobar, o grande amigo de Bentinho.



Publicado originalmente em 1954, O Deus das Moscas é um dos mais perturbadores e aclamados romances da actualidade. 

Um avião despenha-se numa ilha deserta e os únicos sobreviventes são um grupo de rapazes. Inicialmente, desfrutando da liberdade total e festejando a ausência de adultos, unem forças, cooperando na procura de alimentos, na construção de abrigos e na manutenção de sinais de fogo. Porém, à medida que o frágil sentido de ordem dos jovens começa a fraquejar, também os seus medos começam a tomar sinistras e primitivas formas. De repente, o mundo dos jogos, dos trabalhos de casa e dos livros de aventuras perde-se no tempo. Agora, os rapazes confrontam-se com uma realidade muito mais urgente - a sobrevivência - e com o aparecimento de um ser terrível que lhes assombra os sonhos. 



Capitães da Areia é o livro de Jorge Amado mais vendido no mundo inteiro. Publicado em 1937, teve a sua primeira edição apreendida e queimada em praça pública pelas autoridades do Estado Novo. Em 1944 conheceu nova edição e, desde então, sucederam-se as edições nacionais e estrangeira, e as adaptações para a rádio, televisão e cinema. Jorge Amado descreve-se, em páginas carregadas de grande beleza e dramatismo, a vida dos meninos abandonados nas ruas de São Salvador da Bahia, conhecidos por Capitães da Areia.



Em A Rapariga Que Inventou um Sonho estão reunidos os vinte e quatro melhores contos de Haruki Murakami, escritos entre 1981 e 2005, onde a mestria do autor do best-seller Kafka à Beira-Mar envolve a fantasia com a mais natural das realidades. Do surreal ao mundano, estas histórias exibem a sua habilidade de transformar o curso da experiência humana na mais pura e surpreendente arte literária. 

Há corvos animados, macacos criminosos, um homem de gelo... Há sonhos que nos moldam e coisas que sempre sonhámos ter... Há reuniões em Itália, em exílio romântico na Grécia, umas férias no Havai... Há personagens que se confrontam com perdas dolorosas, outras que se deparam com distâncias inultrapassáveis entre os que querem estar o mais próximo possível. 

Quase todas as histórias são melancólicas, com personagens submersas pela solidão. Murakami junta os seus temas favoritos: os acontecimentos inexplicáveis (o tal toque de fantástico que provoca por vezes a sua inclusão na corrente do realismo fantástico), as coincidências, o jazz, os pássaros e os gatos.



Miguel Torga publicou em 1941 o livro de contos Montanha, que imediatamente foi apreendido pela polícia política. Em carta de Abril desse ano, Vitorino Nemésio, solidarizando-se com o amigo, escreveu a propósito dessa apreensão: «Acho a coisa tão estranha e arbitrária que não encontro palavras. De resto, para quê palavras se nelas é que está o crime?» Mais tarde, em 1955, Miguel Torga fez uma segunda edição no Brasil, com o título Contos da Montanha. A edição da Pongetti circulou clandestinamente em Portugal, assim como a 3.ª edição, de 1962. Em 1968, a obra Contos da Montanha foi de novo publicada em Coimbra, em edição de autor. 



Histórias Extraordinárias é uma colectânea de contos publicados entre os anos de 1833 e 1845, considerados clássicos da literatura de horror e policial. É um livro magnífico, tanto para quem gosta de contos de horror e mistério, quanto para quem deseja conhecer um dos mestres nesse estilo literário. Da primeira à última página, Edgar Allan Poe colocou todo o seu pessimismo e espírito macabro que possuía em vida, e que, apesar de às vezes causar calafrios nos leitores, mostra na perfeição a sua genialidade como escritor. 



António Lobo Antunes, implacável, dá-nos a conhecer uma família e os que em seu torno gravitam, num retrato árido e cruel, que leva o leitor, pelo menos, a repensar as relações entre os homens num Portugal prestes a entrar no século XX.

Uma Lisboa marginal, decadente, que acolhe um pequeno universo com personagens que giram em torno da sua própria solidão e isolamento.

Um pai ingénuo que acredita que Gardel não morreu naquele acidente aéreo, e uma tia obstinada dirigem-se a um hospital para velar um jovem heroinómano em estado de coma.



Daisy tem apenas vinte e cinco anos quando a mãe morre nos seus braços. Embora saiba há muito que foi adoptada, sempre se sentiu amada pelos pais e pelos irmãos. Para Daisy, aquela é a sua família. Todavia, o luto vai abalar o equilíbrio doméstico e revelar rivalidades encobertas. A serenidade dá lugar à devastação, e a jovem sente que é a altura certa para partir em busca das suas raízes e confrontar-se com o passado.

Na ânsia por saber mais sobre Ellen, a sua mãe biológica, e à medida que vai desvendando a história da família, Daisy descobre as duras verdades por detrás do seu nascimento. Dotada de uma inabalável determinação, Ellen sobrevivera a uma infância traumática: a morte da sua própria mãe estava envolta numa aura de mistério e os maus-tratos de que fora vítima às mãos da madrasta haviam-na marcado irremediavelmente. O destino quis que a sua coragem fosse constantemente posta à prova. O tempo encarregou-se de apagar o rumo dos seus passos. Mas Daisy não desistirá de a encontrar, nem que para tal tenha de renunciar ao amor da sua vida.



Baseado no mito de Pedro e Inês (mais na lenda do que na História), um romance sobre a intemporalidade da paixão, onde se abordam também alguns mistérios da existência. Um romance que, se não dá nenhuma resposta, coloca ao leitor algumas inquietantes questões. 



Ao longo de quatrocentas páginas vertiginosas, compostas numa espécie de pauta estilística e musical, onde se fundem o fulgor imagístico, o difícil triunfo do amor, as aventuras e desventuras da própria felicidade humana, O Amor nos Tempos de Cólera é um romance que leva o leitor numa aventura encantatória, de uma escrita que não tem imitadores à altura.


Concluído o Top 10 literário para as tuas férias, espero ter contribuído para facilitar a tua escolha para este Verão. Todos os livros apresentados são edições de bolso, já a pensar no pouco espaço disponível nas malas de férias e para não ser desculpa o peso que tens de levar para a praia. Caso tenhas crianças em casa, podes consultar também estas sugestões de livros para crianças de todas as idades. 

Encontraste aqui o livro que te vai fazer companhia neste Verão? Qual o teu eleito? 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Desafio de Cinema (31/52) - Alemão



Eu adoraria poupar-te aos meus lamentos e acessos de resmunguice, mas não consigo. Afinal de contas, estamos juntos nos bons e nos maus momentos, certo? O que significa que tenho de aqui deixar registado o meu lamento pelo final das minhas queridas férias e deprimir por amanhã ser obrigada a voltar ao trabalho que paga as contas. 

Pronto, o desabafo está feito e temos de passar ao que interessa, ou seja, ao Desafio de Cinema. Que nos leva para um tema pouco habitual que é o Cinema Alemão. Penso que não serei a única a desconhecer a grande maioria do que se passa em território germânico no que a Artes diz respeito. A malta preocupa-se mais com as decisões da senhora Merkel e do que isso nos poderá afectar cá no nosso cantinho à beira-mar plantado.

Portanto, foi um autêntico desafio encontrar UM filme que pudesse incluir nesta categoria. Eis senão quando me lembrei que assisti a um filme alemão, que me surpreendeu pela qualidade e pelo tema tratado, durante a minha última incursão pela escola, em Setúbal.

E é assim que te tenho para apresentar A Onda, um filme que retrata o ambiente numa escola, onde um professor, para agarrar a atenção da sua turma, decide formar um grupo com tudo o que isso implica e torna-se o seu líder. São criadas fardas, saudações e mecanismos internos que os identificam e diferenciam dos restantes.

Algo que começa como uma experiência, torna-se num movimento sem controlo e que nos revela o quanto estamos perigosamente próximos do passado e de como será fácil voltar a cair no mesmo erro, que tão caro custou a todos.

Já conhecias este filme? Se a tua resposta for negativa, não deixes de ver. Tenho a certeza que irás gostar! 


Sinopse
Numa escola da Alemanha, os alunos têm de escolher entre duas disciplinas electivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de "A Onda" ao movimento, e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controlo da situação, e os alunos começam a propagar "A Onda" pela cidade, tornando o projecto da escola num movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com "A Onda", mas aí já é tarde.


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os próximos temas.

domingo, 16 de julho de 2017

#Parceria - Recebidos Oriflame 10-2017



A pessoa esteve de férias (a bem de verdade, ainda estou), mas as coisas boas não pararam de chegar cá a casa. É o que dá ter parceiros cinco estrelas que não se cansam de mimar-me. Falo, como é óbvio, da minha parceria de sucesso com a Equipa Orineves

Depois de te mostrar os produtos que recebi relativamente ao catálogo anterior e a última review sobre outros tantos produtos, quero partilhar contigo os mais recentes reforços que me irão fazer companhia nos próximos meses. Vamos a isso?


O que me saltou logo à vista foi este Necessaire, ideal para levar contigo em qualquer viagem para que nenhum produto fique esquecido em casa. Aliás, chegou mesmo a tempo das minhas ansiadas férias e rumou comigo até Lisboa. 


Os produtos que se seguem foram as minhas escolhas para o Catálogo 10 e ambos andavam a despertar a minha curiosidade há muito tempo. São para o cabelo que é algo que no Verão precisa de cuidados redobrados com todas as agressões a que estão sujeitos.

Assim, a minha escolha recaiu no Óleo protetor Eleo, com uma fórmula suave e não gordurosa que nutre profundamente. Promete um cabelo brilhante e com aspecto saudável. É adequado para todos os tipos de cabelo e perfeito para cabelos pintados. 

O segundo produto que escolhi foi o Champô Seco Puro Equilíbrio HairX. É o tipo de Champô que veio para ficar e tem sido aposta em todas as marcas. Portanto, não poderia deixar de experimentar o que foi lançado pela Oriflame. A ideia é reduzir a aparência do cabelo oleoso possibilitando aumentar o tempo entre lavagens. 


Qual é a mulher que resiste a produtos novos de maquilhagem? Eu por mim falo e confesso que deliro com tudo o que é novidade (ainda que tenha 1548 semelhantes em stock). Por acaso, é o caso da Máscara de Pestanas. Sou capaz de ter umas dez em fila de espera, no entanto, considero que faz parte dos essenciais de qualquer maquilhagem, por mais simples que seja e, portanto, nunca está a mais. 

Joaquim, sem imaginar, acertou noutro produto que me despertava imensa curiosidade: o BB Cream The One. Está disponível em três tons, sendo que eu recebi o Light, que corresponde a uma cobertura média. Este creme tem um FPS 30 e ajuda a minimizar o aparecimento de poros. Será o meu melhor amigo nos próximos tempos, dado que não sou grande fã de bases. 


Ufa, chegamos ao fim. Quer dizer, eu recebi mais umas coisas mas, como vem sendo hábito, terei todo o gosto em partilhar contigo no próximo passatempo em parceria com a Orineves. Sei que não vais querer perder esta oportunidade e, como tal, tens de manter as antenas ligadas para não perderes pitada. 

Enquanto esperas pelas novidades que tenho para ti, aproveita para ver os saldos de Verão no Catálogo 10 e conferir todas as vantagens que temos, em exclusivo para ti, ao te tornares Cliente VIP aqui. 

Gostaste dos produtos que recebi? Qual o teu favorito?

sexta-feira, 14 de julho de 2017

A Minha Escolha - Protectores Solares



Já é sabido que eu e, consequentemente, o nosso blog, estamos de férias, a aproveitar a vida lá fora. Fora do online e das preocupações inerentes à produção de conteúdo e sua promoção. No entanto, não resisto a ficar muito tempo longe daqui, porque me faz falta escrever e o calendário das publicações é que sofre com estas férias merecidas. 

Uma vez que estamos em pleno Verão, estação que, desta vez, veio com toda a força e tem dado temperaturas condizentes com o calendário do Hemisfério Norte, parece-me apropriado partilhar contigo o que tenho usado para proteger a minha pele de Branca de Neve dos perigos da exposição solar. 

Antes de mais, importa referir que não é só nesta altura que devemos usar protectores solares. Nas restantes estações do ano, especialmente no nosso solarengo Portugal, é preciso proteger a pele com a protecção solar necessária e adequada à pele de cada um. Posto isto, queres ver quais os meus protectores solares deste Verão?


Portanto, o primeiro produto, da Garnier, é o que resta do protector solar do ano passado. Como era bastante feliz com ele, decidi acabar com o que restava na embalagem (que já se foi e deixou saudades). 

Após ouvir meio mundo a falar maravilhas dos produtos de beleza do Lidl, decidi dar-lhes uma oportunidade e comecei por comprar este protector solar em spray da Cien, com factor de protecção solar 50. Agora que já fiz a transição entre os dois protectores de corpo, notei logo a grande diferença. Enquanto que o da Garnier não precisava de ser espalhado, o mesmo já não se pode dizer do segundo. Vamos lá ver se me convence até ao final do Verão e ganha o seu lugar cativo. 

Para o rosto, tenho usado o Creme Solar Proteção UV Muito Elevada FPS 50 para o Rosto e Zonas Expostas. Este produto promete coisas como prevenir as manchas castanhas e as rugas causadas pelo sol e hidratar e suavizar a pele. Especialmente desenvolvido para peles claras, quer-me parecer que será o meu melhor amigo neste Verão. 

Este útimo faz parte dos derradeiros Recebidos Oriflame e pode ser encontrado, em promoção no Catálogo 10-2017

Conheces estes protectores solares? Quais são os teus eleitos?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...